Arquivos da categoria: Autismo em Resenha

Livro: Com Amor, Anthony

 photo caa44_zpsm3rflxsm.jpg

Vale a pena começar esse post pela autora do Livro: Lisa Genova. Ficamos encantadas com sua biografia: ela é uma autora best seller do New York Times, formada em biopsicologia e é PHD em neurociência pela Universidade de Harvard. Ela se apoiou na Neurociência para começar a escrever e informar sobre o que estudava. Seu primeiro livro, “Para Sempre Alice” tem como tema o mal de Alzheimer, no livro “Nunca mais Raquel” ela aborda TDAH e lesão cerebral traumática, em “Com Amor, Anthony” ela conta sobre uma criança autista e em seu livro mais recente “Inside the O’Briens” (achamos que o livro ainda não foi traduzido para o portguês) ela relata sobre a Doença de Huntington (um distúrbio neurodegenerativo).

Lisa pesquisa MUITO para escrever seus livros (lê tudo o que pode, entrevista médicos, conversa com as famílias que vivem com a condição), mas o desenvolvimento de “Com Amor, Anthony” foi definitivamente diferente dos dois livros anteriores. Quando ela estava escrevendo os primeios livros ela sempre sentiu que poderia se apoiar na neurociência através de livros didáticos e profissionais para obter informações científicas sobre Alzheimer ou Negligência e traumatismo crânio-encefálico, e, como uma escritora iniciante, achou isso reconfortante. Em “Com Amor, Anthony” ela tinha consciência que estava escrevendo sem este apoio: não existe nenhum livro de neurociência sobre o autismo. E a estrutura desta história é muito mais complexa do que os outros livros. Ela fala: “Com “Para Sempre Alice” e “Nunca mais Raquel”, eu era uma neurocientista escrevendo um romance. Com Amor Anthony, eu me tornei uma romancista.”

 photo caa11_zps1kpesrsg.jpg

A obra relata uma história de um autista não-verbal chamado Anthony, e foi inspirado no filho de sua prima, com o mesmo nome. Ficamos impressionadas com a qualidade da escrita de Lisa! Uma leitura completamente envolvente e atrativa. O livro aborda o transtorno da visão do autista e é quase impossível acreditar que a personagem é fictícia. Não é uma obra sobre autismo mas a forma como a síndrome foi tratada é perfeita. A autora mostra as dificuldades e aprendizados do dia a dia com uma pessoa que está no espectro. Em vários capítulos as lágrimas caíram mostrando a emoção contida em cada página.

Além de conscientizar as pessoas sobre a síndrome, Lisa queria algo muito maior com o livro:

“Eu queria lançar uma luz sobre o que é igual entre todos nós, se você tem autismo ou não. Como os seres humanos interagem uns com os outros? Somos todos capazes disso? O que acontece quando não conseguimos ou não queremos nos conectar com as outras pessoas? Qual a sua eficácia para comunicar como se sente ou o que você quer? O que acontece quando encontramos maneira de realmente entender e aceitar uns aos outros? Seu amor pelas pessoas é incondicional?”

 photo caa3_zpsxjdba8ye.jpg

Resumo:

“Em seu novo romance, a autora best-seller de Para sempre Alice e Nunca mais, Raquel conta a história de Anthony. Ao dar voz ao rapaz autista, Lisa Genova permite que ele releve os segredos por trás do funcionamento de sua mente: por que ele odeia pronomes, mas ama o número 3 e balanços, como ele experimenta a rotina, a alegria e o amor. E é a voz desse rapaz que vai guiar duas mulheres em sua jornada inesquecível para descobrir as verdades universais que unem a todos nós.”

 photo caa22_zpsrmkae7d0.jpg

Entrou para a lista dos melhores livros que lemos! Perfeito para presentear parentes, professores, amigos e todos aqueles que são amantes da leitura. O conteúdo é surpreendente e nos ensina muito. Guardaremos Anthony em nosso coraçao para sempre e somos gratas por cada palavra “falada” por ele. Foi como se estivéssemos dentro de sua mente e pudéssemos entender seus comportamentos. Podemos dizer que o foco principal desse livro é a empatia.

Título no Brasil: Com amor, Anthony
Título Original: Love, Anthony
Autora: Lisa Genova.
Editora: Nova Fronteira
Ano: 2015
Páginas: 304

 photo caa5_zpsmedeqyiu.jpg

Fontes:
Simon and Schuter
Good reads
Uma apaixonada por livros
Entre óculos e livros
qt-qt_sidebar_content_blog_by_user=0″>YMC
3 boys and a dog
Cantinho de Duas
HDYO
Boston Globe
Lisa Genova
Conchego das Letas

Livro: O Extraordinário – R.J. Palacio

Extraordinário não é um livro comum. É um livro que chama atenção pela capa, toda azul com um desenho simples de um rosto… tão simples que você se encanta de cara. Sem efeitos mirabolantes ou traços perfeitos, o desenho atrai os olhares e a vontade de ler a sinopse que começa com a frase: não escolha um livro pela capa… E mais um detalhe: as palavras livro e capa são riscadas e corrigidas tornando a frase assim: não escolha um menino pela cara.

 photo livro_zpsj37hhbv6.jpg

De cara refletimos sobre nossos julgamento perante as pessoas que não nos agradam apenas por sua aparência. Tatuagens, cabelos, cor da pele, vestimentas… DEFICIÊNCIAS ou COMPORTAMENTOS… Desde a primeira vez que ficamos sabendo do livro ficamos loucas pra comprar, mas não imaginávamos nem de perto o quanto iríamos amar e querer indicá-lo a todas as pessoas. August, personagem principal do livro, não é autista mas garantimos a vocês que todos que lerem o livro vão se sentir, nem que por um instante, meio Auggie (como preferimos chamá-lo, pelo apelido pois nos sentimos muito próximas dele já).

O livro é uma lição de como devemos encarar a vida de frente e o quanto nos prendemos a problemas, que depois que passam (e vemos que somos capazes de resolver), nem eram tão assustadores assim! A história é dividida por unidades e em cada uma delas uma personagem mostra seu ponto de vista. O livro tem início com a visão de August, um garoto de 10 anos que tem uma síndrome genética rara que faz com que ele tenha uma deformidade facial e por isso teve que passar por muitos procedimentos cirúrgicos e complicações médicas e por isso nunca frequentou a escola. Com 10 anos, ele tem essa oportunidade e divide com o leitor como se sente em relação a isso! Uma lição de vida!

A autora também coloca a participação de Via, irmã mais velha de Auggie; Jack, colega de escola; Justin, namorado de Via e Miranda, amiga de infância de Via. Cada um fala a seu modo, com sua maturidade e apresenta sua visão de como é conviver com Auggie Pulmmam! São verdadeiros, é como se estivéssemos lendo seus pensamentos… confessam coisas que sentimos e jamais confessaríamos! Muito bom pros pais verem o lado dos irmãos, dos colegas de aula, do lado “de lá” da história! As vezes queremos que nos entendam mas não paramos pra ouvir o outro! Vemos que não devemos ser juízes de nada pois as vezes o que parece egoísmo pode ser necessidade de acolhimento, conversa e amor. E sem procurar ouvir, sem nos despirmos de melindres ou ficarmos fragilizados com tudo que ouvimos, perderemos muitas pistas de como agir para “consertar” tudo! Pisar em ovos eternamente ou criar um escudo do mundo real é uma armadilha tentadora! Aqui, abrindo um parenteses, é como sempre ouvimos a frase “autistas não têm empatia”, mas quem fala nunca parou pra se colocar no lugar do autista… incoerência total!

Uma história que mostra nossa verdadeira capacidade de empatia e como devemos nos permitir experimentar os sapatos dos outros, livres de qualquer pensamentos ou rótulos… só temos a ganhar e crescer. Auggie sabe que é diferente mas para ele, ele é um garoto comum, como os outros garotos de sua idade:

 photo auggie_zpskuk99f46.jpg

Há também um detalhe muito especial no livro que são os preceitos do Sr Bowne, professor de inglês que ensina às crianças como construir atitudes de gentileza através de cada pensamento que traz para a sala de aula todos os meses e propõe as crianças para que no final do ano escrevam os seus próprios! Tão linda essa ideia que a autora a expandiu em seu tumblr. seu app que desenvolveu para as pessoas compartilharem gentilezas e pensamento de amor! Acesse aqui e vejam o quanto esse livro além de ter trazido um assunto importantíssimo, virou um projeto bem maior: até um planejamento de atividades dentro de sala e um desafio para ver qual sala de aula é mais gentil (a autora prometeu prêmios para as melhores salas) e certificados de gentileza para os professores imprimirem e presentearem os alunos! Se você é professor, se inspire e se não for, faça uma competição na sua família!

 photo escola_zpsxutrqmkh.jpg

Com tanto sucesso que o livro teve, os leitores queriam outro livo mas a autora não queria fazer uma continuação da história e então surgiu a ideia de aprofundar mais na vida de algumas personagens e ela escreveu outros 3 contos e dentre eles o conto de Julian, o garoto que pratica bullying na escola de Auggie. Esse conto é o único que podemos dizer que é uma pequenina continuação mas bem mais aprofundado na visão de Julian. Mostrar essa visão em um outro livro foi uma jogada perfeita da autora para que não haja competição entre as histórias pois Auggie, no Extraordário, é um embaixador da empatia e apresentando os dois lados da história em um mesmo livro, nenhum dos dois teriam a atenção merecida! Recomendamos muito a leitura desse livro também, pois as 3 histórias são incríveis e principalmente o são pelo fato de podermos reconstruirmos nossos pre julgamentos! Julgar é normal, todo ser humano julga (até por uma questão de segurança fazemos isso)… o duro é nos apegarmos aos nossos PRÉ-conceitos e perdermos oportunidades incríveis. O livro se chama Auggie e eu, três histórias extraordinárias e ele tira aquela sensação de perda que ficamos quando acabamos um livro que amamos!

 photo livros_zpsdx4co6fy.jpg

Em 2015 foi sancionada a Lei que Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying). e foi um passo importante mas sabemos que essa lei, por si só, não combate as agressões físicas e psicológicas que correm na escola! Nosso próprio Sistema educacional deveria ser todo revisto para essa situação mudar pois está cada vez mais evidente em sala de aula a competição entre os alunos (e não a amizade, a irmandade) por melhores notas, para terem nomes em listas ou para ganharem medalhas de melhores alunos. Precisamos também mudar muito a nossa cultura para evitarmos ensinar essas atitudes dentro de casa. Frases como “quem não estuda vira lixeiro” ou “se você não comportar o homem da rua te pega” entre outras que minimizam a importância de todas as profissões (fique uma semana sem retirar o lixo e valorize seu lixeiro!) e não construiremos imagens falsas como a de que todo morador de rua é uma má pessoa. Há infelizmente até quem diga que deficientes forma castigados por Deus ou que Autistas tem o diabo no corpo ou cuidado que ele pode ser violento… isso tudo, constrói na cabeça de uma criança inocente, o preconceito. É nosso dever termos atitudes de gentilezas e incentivarmos cada vez mais a coletividade, mostrando que ao sermos egoístas quem perde somos nós. Trabalhos sociais, doações de brinquedos e roupas feitas em conjunto com as crianças e adolescentes, pesquisas e conversas sobre a imposição da mídia e da moda ajudam no combate do bullying! Respeito às diferenças não é fingir que elas existem e sim enxergar a beleza delas! Uma criança que tem uma mediadora por exemplo ou faz provas com mais tempo, isso não é uma vantagem e sim uma necessidade! Façam dinâmicas com os alunos em que eles tenham que fazer a prova com um fone de ouvido, com a mão não dominante, em outra lingua, etc… Professores devem tornar esse assunto um assunto de interesse de todos, não para apontar culpados mas mostrando a vantagem da união!

 photo extraordinaacuteriofim_zpseoqk9fem.jpg

Vamos praticar a gentileza?

Livro – O Desenvolvimento do Autismo {Thomas L. Whitman}

 photo compartilhar_zpsjigr2z36.jpg

Sabe a alegria que ficamos quando recebemos um e-mail da editora que você adora porque ela sempre publica livros sobre autismo e leva informações para as pessoas que querem aprender? Foi enorme! A M.Books entrou em contato com a gente perguntando se tínhamos interesse em conhecer o novo livro de autismo que estavam lançando e se propondo em também sortearmos um exemplar para nossos leitores e fãs da nossa página no facebook e é claro que aceitamos e ficamos muito felizes com isso pois amamos espalhar conhecimento e ler é uma das coisas que mais amamos fazer (junto com cozinhar, estudar sobre autismo, viajar e conhecer pessoas).

Quando o livro chegou, fomos logo sentindo aquele cheirinho incrível de novo e nos apaixonando pela capa, colorida e bem direta sobre o que o conteúdo irá oferecer: O Desenvolvimento do Autismo – Social, Cognitivo, Linguístico, Sensório-motor e Perspectivas Biológicas. De cara amamos pois o livro traz todas as informações que pais e profissionais que lidam com a síndrome precisam para conhecer a infinidade de caminhos que existem em todas as áreas, inclusive médicas! É como se fosse um centro de acolhimento, um menu de restaurante (um menu de qual conhecimento você quer entender pra depois investir… devorar).

 photo livro sumario_zpsfijczuxp.jpg

Começou a Brincadeira porque a gente pensava assim: “bora ver se fala sobre o SonRise (Option), duvidamos pois todos acham alternativo demais…” e achávamos! O livro aborda o ABA, o TEACCH, musicoterapia, dieta sensorial e outras muitas! “Bora ver o que tem sobre o tratamento do autismo ligado às intervenções biomédicas” e tem muita coisa que nunca imaginaríamos encontrar: tratamento antifúngico, homeopatia, vitaminas, intestino permeável… São 7 páginas de índice para vocês terem uma ideia da riqueza de informações.

 photo livrografico_zpszdgpnbjg.jpg

Thomas começa falando de Autismo, da história, definição e explica todas as sindromes que estão interligadas dentro do Transtorno Invasivo do Desevolvimento (TID) como Rett, Transtorno Desentegrativo da infância, Asperger, Transtorno Invasivo do Desenvolvimento Sem Outra especificação (TID-SOE) e fala até de esquizofrenia. Fala sobre o diagnóstico, as avaliações que existem e as intervenções educacionais e biomédicas… Dá vontade de abraçar o livro… e fizemos isso de tanta empolgação!

Nas palavras de Thomas, autor da obra:

” Este livro foi escrito para abordar as necessidades de diferentes públicos, incluindo pais, professores, universitários que estudam o autismo, terapeutas e profissionais da saúde, bem como estudiosos e pesquisadores do autismo. [...]
[...] Este livro difere da maioria dos trabalhos anteriores, de diversas maneiras. Ele vai além das definições atuais de autismo e discute as formas complexas e variadas pelas quais este transtorno se manifesta. Além de resumir teorias populares sobre o assunto, ele propõe uma moldura teórica nova e abrangente voltada para a conciliação e integração de teorias mais antigas. este trabalho examina o contexto social mais amplo no qual o autismo ocorre, incluindo o impacto sobre a família”

Sabemos que esse livro é um livro de cabeceira pois temos um nessa linha, da mesma editora que se chama Convivendo com Autismo e Síndrome de Asperger – Estratégias Práticas para pais e profissionais dos autores Chris Williams e Barry Wright Indicamos para todo mundo esse livro! Abrimos ele toda hora e já levamos ele em palestras, reuniões com pais e professores e no dia a dia com nossas necessidades!

 photo livros_zpsve33rfgp.jpg

Além desse tem o da Cláudia Marcelino, Autismo, Esperança pela Nutricão,  que também é da editora! E sobre a Cláudia, não precisa falar mas fazemos questão: uma mãe linda que divide sua história e conhecimento sobre a intervenção nutricional como ferramenta de tratamento.

 photo claudia_zpslnusvyzl.jpg

Conheça todos os livros que a editora lançou sobre autismo clicando aqui!

Agora corre que está rolando um sorteio de um livro lá na nossa fanpage no facebook!

Passarinha – Kathryn Erskine

 photo p1_zpsxa63r2nb.jpg

Acabamos de ler um livro daqueles que dá vontade de comprar vários e sair distribuindo. Uma obra de palavras simples, diagramação perfeita, capa e contracapa que tocam e despertam a curiosidade e um conteúdo extraordinário: estamos falando de Passarinha, livro de Kathryn Erskine.

As palavras emanam tanto sentimento que além de ensinar traz um novo olhar do mundo. Passarinha lembra MUITO o Lu. Tem coisas que a gente não sabe que ele sabe mas quando ele coloca suas palavras para fora da mente ele faz a gente sair da zona de conforto e repensar nossas atitudes. Essa sinceridade dos autistas para muitos é falta de educação mas para nós é o contrário: educar sem rodeios, com lealdade e amor.

“Embora eu não gostasse da empatia ela é uma coisa assim que chega sem avisar e faz você sentir um calorzinho gostoso no coração.”

A gente tem mania de falar que falta empatia para os autistas, que eles não sabem se colocar no lugar dos outros, mas através dos pensamentos de Scout (apelido da personagem principal) podemos perceber que nós não somos empáticos com os autistas. Queremos que eles sejam do jeito que a maioria é, até nas coisas erradas como “aprender a mentir pra satisfazer o próximo”. Julgamos muito e exigimos deles coisas que a gente não faz tipo “não gritar ou agredir” sendo que, em muitos momentos, também perdemos a calma.

 photo p3_zpsqgcmbm05.jpg

O resumo do livro conta que no mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai – a si mesma e todos a sua volta –, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido.

 photo p2_zpszzd27ahh.jpg

Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo.

Temos que parabenizar a tradutora Heloísa Leal pois a obra é construída através de jogos de palavras e referências, como o filme “To Kill A Mockingbird” (O Sol É Para Todos), que terá grande relevância para se compreender o próprio título do livro. No começo há uma nota que explica a beleza dessa trama e um pouco sobre o filme (achamos um post legal aqui).

 photo to-kill-a-mockingbird_zpsiidvlrik.jpg

No capítulo 13 Caitlin explica sobre o filme e sobre as comparações da família dela com a do filme que conta a história de um pai que cuida de dois filhos sozinho já que a esposa morreu como aconteceu com a família dela. O filme, claro, é preto e branco e ela ama isso.

“Eu gosto das coisas em preto e branco. Preto e branco é mais fácil de entender. Cor demais confunde a cabeça da gente.”

Depois dessa leitura você vai perceber o quanto os autistas nos ensinam, têm paciência conosco e nos ajudam a evoluir. A partir dessa leitura nunca mais somos as mesmas. Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia e com um desfecho comovente e encantador. De risada a lágrimas, esse livro já entrou para a lista dos melhores livros que já lemos na vida. Um clássico!

Fontes:

Minha vida em filmes
Livros e Fuxicos
Bibliophiliarium
No mundo dos Livros
Daninha Farias
Editora Valentina
Amora Literária
Um livro e nada mais

Somos Brilhantes!

Kristine Barnett ficaria muito feliz com o título deste post pois, com certeza, é este o seu objetivo ao escrever um livro sobre seu filho Jacob, autista e gênio. Ela quer mostrar ao mundo que todos nós temos capacidade para conquistar o que quisermos, para alcançar nossos sonhos e ser feliz. Parece que estamos descrevendo um livro de auto ajuda né? Mas “Brilhante” vai muito além disso… É uma leitura compulsiva de uma história real em que o principal tema é a crença no potencial.

 photo brilhante2_zps0423389a.jpg

Diversas vezes choramos, em outras demos gargalhadas mas TODOS OS DIAS rezamos para que a família Barnett continuasse assim: simples, humilde, felizes e ajudando o mundo a entender que nós somos ferramentas transformadoras do universo! Leiam os trechos abaixo e saberão do que estamos falando:

“MEU NOME É KRISTINE BARNETT e meu filho Jake é considerado um prodígio em matemática e ciências. Ele começou a fazer cursos de nível universitário de matemática, astronomia e física aos oito anos e foi aceito na universidade aos nove. Não muito tempo depois, começou a trabalhar numa teoria original no campo da relatividade. Suas equações eram tão longas que transbordavam do gigantesco quadro branco para as janelas de nossa casa. Sem saber como ajudar, perguntei a Jake se havia alguém a quem pudesse mostrar seu trabalho, e um renomado físico que contatei em nome de Jake concordou generosamente em examinar uma de suas atividades. Ele confirmou que meu filho estava de fato trabalhando em uma teoria original e disse também que, se a teoria fosse consistente, podia colocá-lo no rumo de um prêmio Nobel.”

 photo brilhante4_zps389b0289.jpg

“Tínhamos assistido impotentes ao nosso filhinho vibrante e precoce ir gradualmente parando de falar, desaparecendo diante de nossos olhos em um mundo só dele. O prognóstico ia de mal a pior. Aos três anos, o objetivo que os especialistas estabeleciam para ele era que fosse capaz de amarrar os próprios sapatos aos dezesseis anos.”

Kristine fala sobre seu livro:

 photo brilhante10_zpsdac3289e.jpg

O livro não é fantástico apenas por causa de seu filho Jake. Kristine conta sua aventura como uma mãe, que não só luta heroicamente em nome de Jake, mas ela também enfrenta MUITOS outros obstáculos que a vida apresenta pra ela e toda a família. Sem usarmos o exagero, esses obstáculos são extraordinariamente graves… mas vencidos!

Em uma entrevista foi falado a questão de que nem todas as crianças autistas têm a capacidades de Jacob. Perguntaram se Kristine não se preocupava em dar aos pais falsa esperança? “Todo mundo tem capacidades”, responde Jacob. “A questão é quem as reconhece”, acrescenta a mãe. “É o espírito de superação e isso todos nós possuímos”, ela afirma.

O que nos fez apaixonar por este livro foi que nos identificamos muito com o espírito dessa família: ver o lado positivo de tudo e focar na solução. Já ouvimos muitas críticas sobre isso e várias vezes a frase “Mas vocês falam isso porque o irmão de vocês é autista de alto funcionamento”… Bom, Lu era autista moderado (com crises, auto agressão, etc) e evoluiu no espectro. Agradecemos muito todos os profissionais que passaram e estão na vida do Lu mas o maior remédio nesta caminhada foi a crença que temos em seu potencial.

 photo brilhante8_zps6dd2944d.jpg

Sobre o Livro, Jake fala: “Bem, eu espero que realmente inspire as crianças a realmente fazerem alguma coisa, ciências ou física ou mesmo que não seja ciências. Espero que encorajem a fazer o que elas GOSTAM. Espero apenas que seja inspirador.”

O ponto chave do livro é este! Pais de crianças com dificuldades de desenvolvimento, bem como aqueles com filhos típicos colocam suas crianças (adultos, adolescentes) para trabalharem sempre suas DIFICULDADES. E levanta a questão: “Por que é que tudo gira em torno do que as crianças não conseguem fazer? Por que ninguém VALORIZA o que elas PODEM fazer?

 photo brilhante1_zps29a37155.jpg

Sobre o autismo, Jake diz ser parte dele e diz que gosta de ser assim. sua mãe explica que Jacob não acordou um dia magicamente “curado” da síndrome. Ele continua a lutar contra isso. Em casa ele sempre senta em um pequeno espaço que o faz se sentir mais confortável. O zumbido das luzes também pode atrapalhar.

“Ele supera todos os dias. Há coisas que só ele sabe sobre si mesmo e ele se auto regula sempre”, disse sua mãe.

Jacob fala facilmente sobre o seu autismo e ri de seus equívocos. Enquanto ele admite que não é fácil captar sarcasmo usado por outras pessoas, ele é rápido para brincar:

“.. Não é fácil, é parte de quem eu sou, mas não é tudo de mim; eu sou um físico”, disse ele.

Quando Jake disse isso, ele ainda não tinha terminado de ler o livro de sua mãe e comentou que esperava gostar da história e que não estava envergonhado.

“Não cometa spoiler“, ele disse rindo!

Kristine Barnett diz que o livro é para qualquer mãe a tentar encontrar um caminho para o seu filho, não apenas para os pais que lidam com o autismo.

 photo brilhante9_zpsafda40c4.jpg

Brilhante é daqueles livros que dá vontade de abraçar, de comprar vários e sair distribuindo amor pra todo mundo! Estas últimas imagens são de Jake com seus irmãos Wes e Ethan e a última da família completa.

 photo brilhante6_zps9170983b.jpg

 photo brilhante5_zps6a96f478.jpg

Os direitos dessa maravilhosa história já foram comprados pela Warner e se tornarão filme. Mal podemos esperar para ver esse livro na telona!

“Nós somos apenas uma família normal. Portanto, é realmente bizarro “, disse ela sobre o livro e o filme.” Você sente que tem uma responsabilidade pública para inspirar e ajudar as pessoas. Mas no dia-a-dia, você é só você. ”

Fontes:
Folha de São Paulo
TruthDig
Usa Today
The Globe and Mail
Botõezinhos