Lidar com comportamento agressivo

 photo ciclo_zps63395eeb.jpg

É importante entender este ciclo quando tentamos ajudar pessoas com autismo que sentem raiva extrema. À primeira vista, pode parecer que o furor ocorreu sem motivo, mas a reavaliação minuciosa do incidente provavelmente revela pistas. Depois de descobrir as possíveis causas, é mais fácl impedir prováveis provocações no futuro.

Como lidar com o comportamento agressivo

É possível reduzir a ansiedade e, assim, o aumento da excitação causado por fatores quando se tem consciência deles.
Podemos ajudar os autistas a encontrarem formas seguras de afastar-se de ambientes barulhentos e superestimulantes.
Podemos tentar manter as exigências sob controle.
Onde houver conflitos conhecidos, é possível fazermos concessões em vez de transformarmos a situação em campo de batalha.
Podemos aprender a ter consciência do impacto de mudanças súbitas.

 photo ciclo6_zpsda53416c.jpg

Uma das tarefas mais difíceis para professores e pais é compreender como o jovem com autismo pensa ou sente ao lembrar que seu entendimento social e emocional pode estar em um nível diferente daqueles jovens de mesma faixa etária.

 photo ciclo3_zps96f5d0d5.jpg

Várias crianças usam termômetros emocionais para compreender melhor suas emoções e elaborar planos para lidar com esses estados emotivos intensos. Este termômetro ajuda a própria pessoa a entender as suas emoções e contextos, além de desenvolver um entendimento mais apurado delas, em vez de apenas vê-las como algo que sentem ou não.

 photo controle5_zpscb6352cd.jpg

Outras dicas

- Usa histórias sociais para ajudar a criança a entender e enfrentar situações que lhe parecem difíceis
- Se a criança está irritada e não entendemos a situação, é preciso verificar se está relacionada ao ambiente: etiqueta de roupa, luzes ofuscantes, sons, cores, multidões, aromas
- Analisar se o comportamento está ligado à mudança ou transições. Tentar quadro de histórias escritas ou visuais
- Alertar a crianças antes de esperar que ela conclua as atividades preferidas (método 3, 2, 1, timer, despertador, etc)
- Horários visuais mostrando atividades (rotina)
- Quando crianças não querem seguir algum trajeto diferente, mostrar mapas da região, jogos de carrinhos, figuras em miniaturas que seguem outros caminhos.
- Ajudar no revezamento e perda usando jogos de frequência, por exemplo jogo da memória, jogos de juntar quatro figuras diferentes, etc,

Fonte: Livro Convivendo com Autismo e Síndrome de Asperger. Estratégias e Práticas para Pais e Profissionais – Chris Williams e Barry Wright

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>