Parenthood

Photobucket

Nos Estados Unidos existe uma estatística que mostra que 1 em cada 88 é autista. Esse número é alarmante e temos que fazer alguma coisa para que o mundo fique consciente sobre a síndrome, para que as crianças sejam diagnosticadas mais cedo, para que elas tenham o tratamento que merecem e para que o preconceito diminua cada vez mais. A forma mais fácil de isso ocorrer é ter a mídia do nosso lado. A televisão as vezes é lenta para tal mas alguns dos desafios enfrentados pela população autista tem inspirado alguns escritores de TV, que estão cada vez mais criando personagens excêntricos cujas peculiaridades parece se alinhar com características típicas do autismo: “The Big Bang Theory”, “The it Crowd”e “Community ” são algumas delas. Esses personagens nunca foram diagnosticados, mas eles são inteligentes, focados e apaixonados por determinados assuntos, teimosamente rígidos, e precisam se esforçar para relacionar com outras pessoas, são confusos com expressões idiomáticas, sarcasmo ou outras regras de interação social que são naturais para a maioria das pessoas típicas.

Photobucket

Parenthood é uma série de televisão Americana de comédia e drama, baseado no filme com o mesmo nome realizado em 1989. Criada por Jason Katims, inicia-se com um elenco de luxo entre os quais Peter Krause, Lauren Graham, Dax Shepard, Monica Potter, Erika Christensen, Sam Jaeger, Savannah Paige Rae, Sarah Ramos, Max Burkholder, Joy Bryant, Tyree Brown, Miles Heizer, Mae Whitman, Bonnie Bedelia e Craig T. Nelson. A história roda à volta da família Braverman que já conta com 3 gerações, e retrata o seu dia-a-dia, o choque entre as várias idades e os problemas de cada um.

Desde a primeira temporada, “Parenthood” fomos atingidas por Max Burkholder, que desempenha o papel de Max Braverman, um jovem cujo diagnóstico da síndrome de Asperger pegou sua família de surpresa. É o mais profundo e franco enredo sobre uma criança que está no espectro autista.

Photobucket

O produtor Jason Katims fala a respeito da série: “Quando comecei a escrever o piloto de “Parenthood” eu queria tocar em temas e histórias que eu me também me envolvesse. Queria um programa de televisão que durasse muitos anos, então precisaria de personagens e material que eu tivesse muito embasamento para falar. Eu tenho um filho de 13 anos de idade com Síndrome de Asperger. Naturalmente falo muito sobre a minha experiência para fazer “Parenthood”. Tem sido difícil às vezes, mas me aprofundei como pessoa. Isso me mudou. Foi um pouco assustador por várias razões, mas no final do dia eu estava agradecido e meus parceiros de produção foram muito favoráveis.

Várias linhas dessa história fazem parte de minhas experiências. No entanto, tenho o cuidado de fazer o personagem de Max não como meu filho – há diferenças na forma como se apresentam, quando foram diagnosticados, etc É importante para mim para proteger a privacidade do meu filho. Eu e minha esposa estamos muito mais expostos, já que as histórias são realmente contadas do ponto de vista dos pais: o que é para eles e o que eles passam. Eu tive um feedback muito positivo, até mesmo dos pais que possuem crianças com Síndrome de Asperger e autismo, o que me faz pensar que tivemos um bom começo.”

Photobucket

Parenthood tem atores mirins maravilhosos. Principalmente quando direcionamos nossos olhares para Max Burkholder. Sempre que vamos ver algum ator fazer o papel de um autista ficamos com muita expectativa e também um certo medo. É difícil encontrar um ator mirim capaz de ser natural e confortável para atuar em um papel qualquer, ainda mais pedir para um menino com 11 anos de idade retratar fielmente um transtorno que seria difícil até para um adulto culto fazer. Além de mostrar seu potencial de trazer uma descrição exata desta síndrome, Max trouxe luz para a série que transmite, de forma brilhante sobre o dia a dia (dificuldades e felicidades) de uma família com uma criança autista.

Photobucket Max Burkholder não é apenas talentoso, ele é um ator muito sério. Ele leu livros sobre o autismo e foi um participante ativo em conversas sobre o tema.
Max dominou as manifestações físicas do seu personagem: A falta de contato com os olhos, a falta de expressividade em seu tom de voz, um pouco de qualidade “off” em suas interações com os outros. Em seguida, houve idiossincrasias de sua personalidade: a sua intolerância para com o mundo em torno dele, sua intolerância para inconsistências em sua agenda, sua impaciência com os outros, sua falta de empatia.

Ele foi ótimo desde o primeiro episódio e como a série progrediu a representação de Max apenas aprofundou. “Um dos aspectos mais inspiradores para um escritor de televisão é ver o ator “pegar fogo” em um papel. Vendo Max tão fechado para o personagem, me senti inspirado para elaborar, ainda mais, suas histórias”, conta Jason Katims.

Em uma idade muito jovem, Max fez mais do que apenas entreter (ele chega a encontrar o humor no papel): Ele tem ajudado as famílias a compreender as crianças como Max Braverman – famílias, que possuem um parente com o mesmo dianóstico reconheceram o seu próprio filho, irmão, neto ou sobrinho no personagem.

Max ajudou a destigmatizar a vida de muitas famílias que lidam com o autismo. Ele também abraçou a natureza pública do seu papel, participando de eventos de caridade incontáveis ​​para apoiar a família azul. Sempre perguntam: “Você tem síndrome de Asperger?” Quer elogio maior que este para um ator?

Photobucket

Monica Potter admitiu que ela “não tinha idéia de que teria um impacto tão grande”, quando ela assumiu o papel de uma mãe com uma criança autista em “Parenthood “. Assim, muitas pessoas se aproximam dela para lhe agradecer por ajudar a levar esta questão ao público, incluindo um fã que deixou para ela um bilhete enquanto ela estava fazendo compra de mantimentos. A atriz disse que carrega a mensagem com ela para sempre.

Photobucket

A série é diversão certa para qualquer pessoa. Nada melhor do que chegar em casa, colocar o DVD e começar a assistir as confusões e momentos felizes dessa da bela família Braverman. Hora estamos rolando de rir, hora estamos chorando de emoção. Compramos as 3 primeiras temporadas (está na quarta) e pode apostar que entra pra lista de melhores presentes que já nos demos! Vale a pena demais assistir. Antes de adquirir os dvds, baixávamos aqui. Nunca conseguimos assistir apenas um episódio. Em segundos a gente vai se envolvendo e pronto… é difícil sair de frente da TV. Além do autismo, outros temas são abordados e você com certeza vai se identificar em alguma parte da história ou com algum personagem. A vontade que dá é abraçar cada ator, cada pessoa que produz essa série e agradecer. Muito obrigada por nos proporcionar esse mix de sentimentos maravilhosos ao ver uma série tão bem produzida! 5 estrelas!

Photobucket

fonte:
Imagens:

SFGate
Zap2it
The Waschington Times
Autism Learning Felt
Mannlymama
Portugal Series

—-

The Holywood Reporter
Autism Speaks Oficial Blog
Gold Derb
EspecialEDpost

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>