A “voz” de Carly

Eu e Luiza amamos ler livro de autores autistas pois eles nos fazem entender um pouco da mente de quem está no espectro. Por vezes choramos, outras rolamos de rir, outras citações nos fazem lembrar momentos que vivemos e outras fazem a gente se aproximar do Lu e de outros autistas… nos faz ser melhores porque a gente muda as nossas atitudes já que alguém nos “explicou” como reagir a determinado comportamento e o que o autista está sentindo.

Photobucket

Carly Fleischmann é uma menina autista que era incapaz de se comunicar com o mundo exterior. Até que aos 11 anos, algo surpreendente aconteceu: ela começou a se comunicar através do computador e mais, começou a descrever seus sentimentos e explicar os porquês de algumas atitudes.
Assistam o vídeo para conhecerem um pouco da história dela!

Muito interessante né? Conviver com um autista é assim: uma montanha russa emocional. Quando a gente menos espera, eles nos surpreendem. Foi assim quando descobrimos que Lu lia… ele aprendeu sozinho, tudo por associação. Mostrávamos as letras no computador e quando vimos, ele já sabia tudo… esse é um dos exemplos porque nosso moleque nos surpreende todos os dias! Não podemos desistir NUNCA!

Voltando a falar de Carly, hoje ela tem 17 anos e acabou de finalizar um projeto com seu pai (o presidente da agência canadense John St.) para atrair a atenção do mundo para a desordem. O produto final é um website que simula a sobrecarga sensorial de uma pessoa autista.

“Carly quis criar o site para explicar às pessoas o que ela realmente sente, todos os estímulos excessivos que acontecem em volta dela – de cheiros a sons, de visões a toques – e como eles colidem com sua habilidade de filtrar tudo isso e manter uma conversa normal.”

Photobucket

Atenção: O legal é ver o site em tela cheia e se possível com fone de ouvido. (e um pouco de paciência para esperar o loading terminar)

VALE MUITO A PENA! Tenha essa experiência clicando aqui ou aqui.

Quem acessou pôde perceber como um simples ato de ir a um café pode ser complicado. Muitos barulhos, conversas, cheiros, luz… inúmeros estímulos recebidos ao mesmo tempo.

Recentemente, Carly escreveu um livro mas infelizemente não sabemos quando ele será traduzido para o português. É um dos primeiros livros a explorar em primeira mão os desafios de viver com o autismo e leva os leitores para dentro de um mundo outrora secreto e na companhia de uma jovem inspiradora que encontrou sua voz e sua missão.

Photobucket

Estamos ansiosas para ler e descobrir mais sobre a mente de uma pessoa que vive o espectro. O livro é escrito por ela junto com o pai, seu grande incentivador.

Photobucket

Pra terminar este post, a divulgação da página dela no facebook. Curta e você não vai se arrepender. Ela sempre coloca sobre seu dia a dia, responde perguntas, divulga seus projetos, etc. É tudo em inglês mas o próprio facebook tem um tradutor. O tradutor não é 100% correto mas dá pra entender de forma geral o que ela escreveu. Abaixo algumas citações dela por lá:

A mais recente (até o começo da elaboração desse post):

“Você sempre mantém algum pensamento na sua cabeça? Algum pensamento que te acompanha desde o momento que você acorda até na hora de dormir, dificultando você a pegar no sono? Para mim é ainda pior porque ele fica muito intensificado. Quando uma pessoa faz um comentário ela não tem noção do impacto que isso me causa. Pense em minha mente como um conjunto de dominós. Cada dominó é colocado no local correto e quando alguém me diz algo é como se um dominó ficasse instável e afetasse todo o conjunto. Todos os dominós podem cair no chão e tudo está arruinado. Estou trabalhando duro para alterar o caminho do dominó que está caindo mas ainda é um desafio.”

Photobucket

De Mya Coles: (Mito sobre autismo) outra pergunta… Eu assisti um filme recentemente e nele dizia-se que crianças autistas são incapazes de amar. Meu neto é muito muito carinhoso, isso é apenas sensorial ou você acha que crianças autistas podem amar?

Resposta de Carly: Isso não é verdade e está muito longe da realidade! De fato, nós amamos, amamos muito mas algumas vezes é difícil para nós demonstrar esse sentimento. Mesmo não sabendo nos expressar, somos capazes de amar e nos sentir amados.

Photobucket

Essa é apenas uma demonstração do que vocês encontrarão no facebook. Ela responde a várias perguntas de pais de autistas e de curiosos sobre o autismo. Espero que tenham gostado de saber um pouco sobre essa autista que tem ajudado tantas pessoas através de sua “voz”.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Contamos um pouco do início da jornada de Carly em direção à auto-realização. Embora Carly ainda lute com todos os sintomas de autismo, que ela descreve com precisão fantástica e detalhe, ela agora tem espirituosas e regulares, conversas através do computador, com sua família, seus terapeutas, e os muitos milhares de pessoas que seguem sua via seu blog, Facebook e Twitter.

fonte: Falando de Autismo
Update or die
Carly’s Voice
Facebook da Carly

3 ideias sobre “A “voz” de Carly

  1. Daniel Lopes

    Ótimo post meninas;
    É isso aí!
    Parabéns e obrigado por esclarecer questões tão importantes que, corriqueiramente, a gente nem sonha… ficaríamos na eterna ignorância.
    Beijos

  2. Cris

    Eu tinha visto o post antes mas não tive tempo de ler. Hoje consegui e adorei. Sou também muito fã dos autistas que escrevem ou falam e fazem com que a gente compreenda este fantástico jeito de entender o mundo.
    É surpreendente pensar que uma pessoa tão comprometida como a Carly consiga nos dizer o que pensa e a gente conhecer tantos autistas verbais e comunicativos que não querem simplesmente nos falar deles. De certa forma a dificuldade de se comunicar fez com que ela quisesse muito falar e conseguisse se articular pra isso.
    O Lu fala super bem, tão esperto e inteligente, será que um dia irá nos dizer como pensa a respeito da vida? Será que a Milena poderá um dia me dizer o que sente quando é abraçada?
    Espero que sim :)
    Parabéns como sempre pelo primoroso trabalho. Um beijo grande e obrigada pelo post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>