Uma viagem sem glúten

irmas do barulho

Como todos que passam por aqui sabem, fomos passar Natal, Ano novo e férias com nossa irmã em Londres. Fernanda mora lá faz 3 anos e nunca tínhamos saído do Brasil. Chegou a hora e aproveitamos a oportunidade para matar as saudades da irmã e conhecer muitas coisas legais. Foram 17 dias em Londres e 3 em Paris. Muitos sabem também que estamos fazendo a dieta sem glúten, só não paramos com o leite por sermos vegatrianas. O glúten demora quase um ano pra ser eliminado do corpo e estamos há sete meses em dieta. Quando completar um ano, faremos post especial.

ceia de natal

Passamos o Natal em família. Além da nossa irmã, Fernanda, Thales, nosso primo, também estava viajando pela Europa e ficou em Londres no fim do ano, com seu amigo Rian. Foi uma ceia de verdade, na casa de amigos brasileiros. Foi muito bom e nos divertimos muito. A comida estava uma delícia e encontramos uma amiga lá, que é de Uberaba, que descobriu que é celíaca.

cerja sem gluten Até experimentamos cerveja sem glúten que ela levou. É igualzinha mas como não gostamos de cerveja, ficamos no vinho mesmo, rs. Ela nos contou que em Londres tem restaurantes com comida sem glútem, pizzarias, e etc. Legal demais! Em pesquisa para esse post, achei um blog muito bom em que a autora mostra vários alimentos sem glúten, viagens e locais com comidas especiais, receitas e etc. Vale a pena dar uma lida. Se você tem alguma restrição alimentar ou se o seu filho está autista e faz a dieta SGSC, vale a pena pesquisar antes pois com certeza você terá muitas surpresas. O que não vale é deixar de se divertir. A gente não pesquisou muito porque nossa irmã mora lá e ela já havia nos avisado que tinha alimentos sem glúten.

No ano novo passamos em um restaurante/pub que se chama Favela Chic, é de brasileiros mas tinha gente do mundo todo. Foi bem legal pois a turma era ótima (a mesma do Natal, praticamente), conhecemos um pessoal da Alemanha, nos divertimos. Jantamos por lá… muita comida, tudo sem glúten… tinha carne mas falamos que somos vegetarianas e eles colocaram só os legumes pra gente, ficamos bem felizes. Aliás, quem tem um filho ou está na dieta SGSC não tem muito problema quanto a almoço e jantar pois existe uma variedade enorme de alimentos sem leite e glúten, o difícil é quando a criança tem dificuldade de experimentar alimentos novos, caso do Lu.

comida muito boa

A maior dificuldade é quanto a lanches fora de casa pois as lanchonetes são atrativas e lá podemos ver bolos, doces, pães, sandubas, tudo prontinho pra ser devorado… tudo com glúten, glutamato, etc…

hmmm Em Londres, como estávamos na casa da Fernanda, fazíamos café da manhã e lanche em casa e arrependemos de não ter feito lanche e levar na bolsa… mas sempre carregávamos amendoim ou chocolate caso demorássemos pra encontrar algo que pudéssemos comer. Isso nunca aconteceu mas as vezes estavam todos comendo saunduiche e a gente tinha que comer salada ou omelete… e ficávamos lembrando desse pão com tofu frito e salada aí da foto. O legal é que todo suco que compramos, seja de caixa, garrafinha ou outras embalagens, é de pura fruta. Nada de corantes ou conservantes. Esse de caixa custou 1 libra: menos de 3 reais.

pao sem gluten

E é aí que entra o Tesko nessa história… Sabemos que muitas das coisas que vimos em Londres são fáceis de serem encontradas em cidades grandes no Brasil mas como não viajamos muito e nunca moramos fora de Uberaba, achamos muitas coisas interessantes nessa viagem.

Mente aberta e consumidor feliz Em todo canto da cidade tem um Tesco… um supermercado comum mas com duas coisas que chamam a atenção de quem estuda alimentação e se preocuopa com uma vida saudável. O tesco possui duas marcas próprias: uma para alimentação orgânica e outra para produtos específicos para alérgicos. Eles aproveitaram o aumento de número de alérgicos somados a preocupação com quantidade de agrotóxicos que consumimos e lançaram essas marcas. Além disso, eles possuem um blog onde podemos ver notícias e receitas.

Saude pura Eles possuem algumas fazendas como fornecedores e quando o fornecedor Shropshire completou um ano de parceria com o Tesko, eles escreveram um artigo explicando sobre o trabalho realizado a cada mês: colheita, plantação, etc. Muito interessante. Ao final do arquivo, o consumidor pode visualizar, em pdf, a lista de produtos oferecidos.

verduras e legumes organicos

Agora vamos a explicação da outra marca. Ficamos encantadas quando fomos ao supermercado pois queríamos levar quase tudo pra casa mas ainda não tínhamos andado por todo o local quando percebemos uma estante roxa e amarela… tivemos que parar.

selo com infos Lá tem uma prateleira dedicada somente a esses produtos, os chamados “free from products” que formam um grupo de mais de 150 variedades sem glúten e/ou leite. Ficamos MUITO felizes pois pudemos comprar no mesmo lugar o pão para nosso lanche. Estávamos loucas pra comer pão e comemos o melhor pão sem glúten… pra não falar que somos exageradas, é a mesma opinião do blog Gluten Free Guide. No blog do Tesco está escrito que a pior coisa é você ter que parar de consumir o que gosta ou ter dificuldade de encontrar tais produtos. Pensando nisso, a marca foi criada e vai expandir cada vez mais. No final do post também há uma lista com os produtos da marca.

Free from gluten and/or milk

A maioria dos produtos está na mesma prateleira mas há alguns juntos com os refrigerados como as salcichas por exemplo. Deu vontade de trazer o Tesko na mala!
pronto pra comer Outra rede que tem muito em Londres é a “Pret a manger” que significa em francês “Pronto pra comer” e faz trocadilho com a expressão “Pret a Porter” que significa “pronto para levar”. O diferencial deles é ter produtos feito a mão. Além de tudo alguns produtos são orgânicos como as sopas que tomamos lá. O ambiente é aconchegante o que torna o lanche mais prazeiroso.

sopa organica

O copo é personaliado, a sopa vem quentinha e é muito saborosa, parece feita na nossa casa mesmo. Tem coisa melhor que andar o dia todo e comer algo que você sabe que é realmente saudável?

Abaixo algumas fotos de pratos sem glúten e vegetarianos, ótima opção pra quem também gosta de uma comida light, ainda mais quando você come rápido e já sai andando por lojas ou museus enoooormes.

melhor salada do mundo
Essa salada comemos em uma pizzaria orgânica…

pizza orgânica

O ambiente é todo natural e ao tirarmos uma foto com flash fomos repreendidas pelos funcionários. Tudo tem que ser sem flash pra não agredir o ambiente da pizzaria. Aprendemos, depois da bronca, a sempre perguntar se podíamos ou não tirar fotos pelos locais onde passávamos. A salada entra pra nossa lista de uma das melhores que já comemos: rúcula, cogumelos frescos e batata cozida: perfeita!

Refrigerante organico Nesse local aconteceu um deslize também. Apesar de acharmos que era fácil não sair da dieta e de fazermos tudo para cumprir com essa nossa pesquisa, quando nosso primo pediu por coca cola, eles falaram que não tinha. Achamos estranho pois qualquer lugar do mundo vende coca cola mas achamos bom também pois nosso primo iria ter que tomar outra coisa. Aí o garçon surge com um refri orgânico. Ficamos tão empolgadas que provamos. Luiza achou ruim, com gosto de cerveja e ao ler os ingredientes, tinha malte. Ficamos tristes… foi um gole só mas sempre lemos TUDO e dessa vez a empolgação foi maior. O refri não é bom então mantemos a regra: pra que tomar refrigerante? hahahaha Dividimos uma mesa com um grupo de amigas que tomavam cerveja orgânica. Foi uma experiência inovadora, vimos coisas que nem sabíamos que existia. Valeu a pena ver os outros comerem uma deliciosa pizza.

inarizushi com suco de pura maca
Quando não se tá a fim de provar nada e se está em dieta, a melhor coisa é ir pra um restaurante japonês: comida leve, gostosa, saudável e colorida!

falafel
Comemos faláfel e lembramos da Cláudia Marcelino. Sempre gostamos muito de grão de bico mas a primeira vez que fizemos em casa foi pra testar pro livro dela um “hamburger de gão de bico”. Delicioso!

Comida boa!

vegetariano

Esse foi nosso último restaurante em Londres. Comida boa (apimentada) e vegetariana.

Obrigada pelo alimento que vamos comer! O mais interessante foi esse altar que encontramos no Govinda. No momento da refeição comentamos que era um altar budista e que muitos seguidores do Buda são vegetarianos mas pesquisando melhor descobri que toda comida, depois de feita, é servida primeiro ao Senhor Krishna, num ato chamado “Prasadam”, misericórdia de Deus. Então é uma comida livre de glúten, carne e KARMA. Como eles dizem: uma experiência abonçoada.

nas lanchonetes tinha frutas pra comprar Pra finalizar o roteiro alimentar de Londres, vale ressaltar que em quase todos os museus a gente via frutas sendo vendidas ou seja, se você quiser ter um dia a dia saudável mesmo fora de casa, você pode. Ao invés de comprar salgadinhos e aperitivos cheios de conservantes, as crianças lá saem super felizes com uma fruta na mão.

E como não somos de ferro e estávamos loucas pra comer doce, ficamos maravilhadas quando encontramos na Torre de Londres (museu que passamos 5 horas de felicidade) um brownie delicioso. Olhem a plaquinha:

uau vamos comer doce sem preocupacao

Não é em todo lugar no mundo que as indústrias precisam informar se o produto contém ou não glúten, corante, glutamato e etc e passamos muitas dificuldades com isso na Inglaterra e na França mas ficamos bem felizes de sabermos que algumas empresas já se preocupam com isso e dão destaque a algumas informações importantes, facilitando assim a vida dos alérgicos.

Assim fica mais fácil e seguro comer

Sei que o post está enorme mas vou finalizar com Paris pois passamos 3 dias lá e acho que vale a pena contar como foi. Lá é bem mais difícil que Londres pois não lemos e nem falamos francês e as pessoas não fazem questão de te ajudar então com alimentação restrita é bem difícil. O que mais tem lá é pão, claaaaaro, ou seja, sempre ficávamos a ver navios. Vale destacar que nossa primeira refeição foi o prato que ficou famoso com o filme:

ratatuile
Ratatouille

E uma sobremesa que fez a nossa alegria pois pudemos experimentar o famoso sorbet, que foi tema de post aqui no Blog. Eu pedi de pistache e Luiza pesiu o de frutas vermelhas… o dela estava be melhor que o meu e comemos os dois meio a meio (ela é bozinha né?).

sorbe

E já que tá grande o post e só vai ler quem tiver paciência (por favor, leiam!!!), não podia deixar de falar no nosso segundo Natal. Mamãe mandou a decoração da mesa pra passarmos um Natal em família mas como fomos pra casa de amigos, lá pelo dia 2 ou 3 de janeiro, eu e Luiza fizemos um escondidinho de congumelos. Ficou uma delícia… modestas né? Recebemos elogios!

batata com cogumelo Aí está a imagem do nosso escondidinho… achamos o preço do cogumelo muito bom então comopramos e voltamos decididas a fazer esse prato. Fácil de fazer, delicioso e saiu quentinho do forno… nada melhor do que esse tipo de comida pra quem passou vários dias gelados… pra acompanhar: vinho, claro. Um brinde a viagem, a vida, a nossa família e amigos!

natal caseiro

Sabemos que muitos torceram bastante para que essa viagem desse certo e podem apostar que não esquecemos um minuto dos nossos amigos e leitores do blog.

Gostaríamos de falar (essa fala é minha e da Luiza) que a maior dificuldade NOSSA em relação a restrição alimentar é o “preconceito” das pessoas. Muitos acham bobeira, muitos falam que a gente não come nada (pelo fato de não comermos carne), muitos acham frescura e fica uma situação difícil, mais difícil do que ver os outros comendo coisas que você não pode ou de procurar algo que não fuja a dieta e seja gostoso ao mesmo tempo. Não fizemos ninguém deixar de ir em algum pub, restaurante ou qualquer lugar por nossa causa então acho que todos podiam pensar a respeito disso. A pessoa que acompanha a gente não vai deixar de comer nada então não entendemos qual a razão de todos ficarem reclamando… Isso não é uma bronca, é para fazer as pessoas pensarem. Sabemos que somos muito chatas por as vezes ficarmos falando que tal e tal coisa faz mal e etc e temos que falar menos… fazemos pelo bem, porque gostamos da pessoa e imaginamos que isso ocorra do outro lado… a pessoa pensa que tá comendo algo muito gostoso e acaba achando bobeira você se privar daquilo.

Por outro lado, sempre que fazemos alguma dieta (seja por pesquisa ou quando tínhamos mania de fazer promessas) nos sentimos especiais e queridas. Fomos a um aniversário de um amigo do Dojo e a mãe dele fez salgado sem glúten pra gente, fomos a um almoço na casa de outro amigo do Dojo e ela fez o almoço sem glúten e sem glutamato, pra agradar mesmo. Dona Quimiko, sogra da Luiza, ficou lendo os rótulos das balas na Liberdade (bairro japonês de Sampa) pra comprar algo pra mim e pra Luiza pois sabe que a gente ama, mamãe está testando várias receitas SGSC, Leo compra coisas pra ele com glúten e pra gente sem e por aí vai.

É isso! Post enorme né? Muita coisa pra contar, espero que tenham gostado e que não tenham dormido na mesa de computador, rs.

Como esse é o primeiro post do ano (feito pois tiveram outros programados) aproveitamos pra desejar TUDIBOM pra todos que passam por aqui. 2011 promete! Força na peruca!

6 ideias sobre “Uma viagem sem glúten

  1. Tathy

    Adorei o post. E vcs passaram muito bem em Londres. Fiquei com água na boca com esses pratos. E sobre o preconceito com quem faz dietas ou tem restrição alimentar eu só posso dizer que ele existem em todos o lugares. Ser diferente é natural, mas muitas pessoas ainda não entenderam isso. Esse post mostra sim que pode comer bem e comidas gostosas mesmo com quem não come qualquer coisa.

    E Londres com a Fernanda deve ter sido maravilhoso!!!!

    Pode deixar que vou fazer meu depoimento pra vcs, tá? Bjsssssssssss

  2. Dinha

    Eu AMEI o relato, achei mega interessante e saboroso! Tbém fiquei com vontade de ter o tal mercado por aqui. Sobre o preconceito, relevem… Ele costuma vir do puro desconhecimento. Muito escuto que Caio é ‘fraquinho’ porque não come glúten, lactose nem carne vermelha… Mas eu sei que isso só faz bem a ele. Bjs a vcs!

  3. Erica Souza

    Oi meninas,
    Adorei o post e queria maaaaaissss. Não achei grande de jeito nenhum, queira era saber mais ainda. Eu simplesmente adooooro relatos de viagem e as experiências contidas nela. Tenho certeza q foi ótima e fiquei impressionada como vcs se mantiveram firmes, hein? Parabens!
    Agora quando vcs falaram do escondidinho me deu água na boca. Please mandem pra mim a receita?!
    Um Feliz 2011 pra vcs, pro Lu e pra família toda.
    Estou devendo muitos posts no blog mas aproveitarei meu restinho de férias pra pagar a dívida. bjcas. Erica

  4. Bia

    Uau, q viagem maravilhosaa!! Sou louca pra conhecer Londres, meu marido fala taaaaaaaanto de lá (às vezes é até chato! rsrs).

    Que bom q vcs conseguiram manter a dieta, é muita força de vontade! Eu não consigo nem aqui em casa, rsrs.

    Beijooo

  5. Ester Benatti

    Karla e Luiza,
    Passo sempre aqui pra ler sobre o Luiz mas agora queria saber se a dieta sem glúten fez alguma diferença no sintomas de DDA que vcs têm?
    Um abraço
    Ester

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>