Candidíase

Há alguns dias Lu tem apresentado bolinhas vermelhas no pênis e está coçando muito o bumbum, o que estava nos preocupando. Depois de analisarmos sua alimentação e lermos alguns artigos, descobrimos o que estava fazendo ele ter essas reações. Junto a isso, semana passada ele estava com corisa, tosse e febrícula. Também não estava comendo.

Li alguns artigos sobre candidíase mas não sabia o que poderia estar causando isso no Lu até que Luiza, sem saber que eu estava pesquisando me chamou e disse: Li que algumas crianças autistas não podem com açúcar mascavo, acho que o Lu está com cândida e ele começou a ter coceira depois que começou a tomar Kefir. É isso!, falei pra ela, estava desconfiada de cândida mas não sabia o que estava causando. Uma pena Lu não poder tomar Kefir pois eu e Luiza estamos tomando e amando. Mas como ele não pode com leite e nem com açúcar mascavo, teremos que manipular probióticos para ele.

Abaixo, uma matéria interessante sobre a candidíase.

candidíase

“A candidíase é chamada de epidemia escondida, sendo por isso muitas vezes sub diagnosticada. A cândida afeta não só mulheres, como homens e crianças. A cândida albicans é um fungo, que tem como habitat principal o sistema digestivo humano. Todos nós temos várias bactérias e fungos como a cândida habitando em harmonia no nosso intestino, constituindo a nossa microbiota intestinal.

O uso de antibióticos, quimioterápicos, antiácidos, esteróides, progesterona, pílulas anticoncepcionais e cortisona, assim como o estresse, a diabetes mellitus, e a hipoglicemia, entre outros distúrbios metabólicos pode provocar a quebra deste equilíbrio, sendo desencadeadores da proliferação da cândida.

As pessoas mais suscetíveis à cândida são aquelas alérgicas, com má digestão, aquelas com infecções virais, síndrome da fadiga crônica, câncer, ou que tenham um histórico de uso crônico das drogas mencionadas. A cândida é mais encontrada em determinados tipos de personalidade como naquelas pessoas que se doam, que buscam a perfeição, estressadas, workaholik, com baixa auto-estima e que querem se manter muito magros. Todas estas características, doenças e estresse têm em comum o fato de provocarem uma diminuição da função do sistema imunológico, deixando-nos muito mais suscetíveis ao supercrescimento da Cândida. A sua recorrência também está relacionada a períodos de baixa imunidade e baixa energia corporal, uma vez que um organismo fraco é um ótimo ambiente para o rápido crescimento deste fungo.

SINAIS E SINTOMAS

A cândida e outros fungos produzem toxinas, que no organismo humano podem atingir a corrente sanguínea e produzir uma vasta gama de sintomas que se manifestam principalmente em 5 áreas do nosso corpo:

a) Sistema digestivo – provocando gases, distensão abdominal, diarréia alternada com constipação e múltiplas alergias alimentares

b) Sistema nervoso – fadiga anormal, dificuldade em se concentrar, confusão mental, irritabilidade e confusão mental, perda de memória, insônia, depressão, tontura, alterações de humor, dores de cabeça, náuseas, sensação de queimação, dormência, entre outros

c) Pele – psoríase, eczema, sudorese excessiva, acne e infecções nas unhas.

d) Trato genito-urinário – nas mulheres, principalmente tensão pré- menstrual, infecções vaginais recorrentes, e perda da libido. Nos homens inclui prostatite recorrente e impotência.

e) Sistema endócrino – hipo ou hipertireoidismo, principalmente os de origem auto-imune.

O conjunto destes sintomas devido à infecção por cândida pode ser chamado de candidíase polisistêmica.

INFLUÊNCIA DA DIETA

açúcar: veneno?

Os fungos crescem com o açúcar, principalmente a sacarose. O consumo de grandes porções de carboidratos refinados como balas, chocolates, bolos, biscoitos, pão branco, bebidas alcoólicas e cafeína podem levar a um supercrescimento da cândida. Mesmo o açúcar contido nas frutas e nos seus sucos, se consumidos em excesso, favorecem também o seu crescimento. O excesso de açúcar e de lipídios diminui a fagocitose de leucócitos e a função linfocitária, respectivamente, tornando o ambiente próprio para o seu ótimo crescimento. As deficiências nutricionais frente a uma alimentação desequilibrada e uma função digestiva precária também estimulam o seu crescimento.

Muitos alimentos, mesmo que considerados saudáveis, podem estar grandemente colonizados por fungos e suas toxinas. Estes incluem milho, amendoim, castanha de caju, e coco ralado. Fungos também podem ser encontrados na cevada, centeio, trigo, arroz, milhete e em praticamente todos os grãos de cereais. Uma dieta rica em cereais e oleaginosas contaminadas, portanto aumentam a colonização de fungos no trato digestivo. Animais que se alimentam destes grãos contaminados também tem um crescimento de fungos aumentado e nós, portanto podemos ingeri-los de maneira indireta através do consumo de sua carne. Além disso, esses animais podem ter sido alimentados com antibióticos, o que de alguma forma pode influenciar no desequilíbrio da nossa ecologia intestinal.

A exposição a toxinas ambientais (pesticidas, herbicidas, petroquímicos e metais pesados) também aumenta a sua prevalência. Alguns estudos apontam para uma relação da cândida com uma sensibilidade aumentada ao mercúrio derivado dos amálgamas dentários e com uma prevalência aumentada de alergias alimentares.

TRATAMENTO NUTRICIONAL – ALIMENTAÇÃO E SUPLEMENTAÇÃO

saude
A candidíase não pode ser curada somente através das alterações dietéticas propostas, mas estas são de fundamental importância para a eficácia do tratamento antifúngico usualmente empregado. A dieta garante que a cândida não cresça ou que tenha um crescimento insignificante.

O mais importante no que se refere ao tratamento da infecção pela cândida é melhorar a função digestiva e o sistema imunológico, assim a cândida não encontrará ambiente propício para o seu crescimento excessivo.

Frente aos alimentos mais envolvidos no crescimento da cândida, é importante, evitar frutas ricas em açúcar como as desidratadas, frutas, sucos de frutas, alimentos fermentados como cerveja, vinho e queijos, pães e grãos contaminados, produtos de origem animal (principalmente a carne vermelha e de porco, gordura animal, manteiga, leite e outros laticínios), amendoim, pistache, castanha de caju e coco ralado, sementes e alimentos refinados. Evitar a ingestão de champignons, pois eles nada mais são do que uma espécie de fungo que pode proliferar a população intestinal de fungos.

Evitar a ingestão de amendoim ou seu óleo, uma vez que freqüentemente estão contaminados com aflatoxinas e fungos considerados imunossupressores.

Alimente-se com mais peixes e óleos de peixe (ricos em ácidos graxos (Ômega 3), alho, cebola,azeitonas, azeite de oliva, hortaliças verdes, ervas, especiarias, semente de linhaça e produtos à base de soja como o tofu e o iogurte.

Alguns suplementos também são indicados como coadjuvantes no tratamento da candidíase:

PROBIÓTICOS: são as bactérias intestinais benéficas que residem no nosso intestino e funcionam como um antibiótico natural contra bactérias patogênicas, vírus e fungos como a cândida. Para isso é importante que estejam em equilíbrio na nossa microflora. O iogurte e outros leites fermentados são fontes naturais de probióticos, mas estes podem ser melhor obtidos através de suplementos de lactobacilos e bifidobactérias. Podem ser utilizados por via oral ou como uso tópico no caso de infecções vaginais recorrentes.

PREBIÓTICOS: como os frutooligossacarídios (FOS), por exemplo. Aconselha-se associa-los ao uso dos probióticos, uma vez que alimentam os lactobacilos, aumentando sua população e assim conferindo maior proteção intestinal.

ÁCIDO CAPRÍLICO: é um ácido graxo de cadeia média presente no coco. É um potente agente antifúngico.

CEBOLA E ALHO: são efetivos no combate tanto da cândida quanto de parasitas. Devem ser consumidos na forma crua ou em suplementos de óleo ou extrato de alho. O processamento do alho em cápsulas provoca perda de parte de sua atividade antifúngica. A alicina é o elemento essencial no óleo de alho, responsável pelas propriedades terapêuticas antibacterianas, antiinflamatórias e antifúngicas. Utilizar diariamente durante 1 a 3 meses.

ÓLEOS: O óleo de peixe tem atividade antifúngica comprovada, havendo também benefícios através da ingestão de peixes como truta, salmão, sardinhas, atum e bacalhau por pelo menos 3 vezes/semana. O óleo de prímula, de borage e groselha preta são ótimas fontes de Omega 6. Óleo de semente de linhaça é boa fonte de ácidos graxos Omega 3 e 6. Todos estes óleos tem propriedades antifúngicas. Destaca-se neste grupo o óleo de orégano por suas propriedades antibacterianas, antifúngicas, antiparasíticas e antioxidante.

ALOE VERA GEL: assim como a espirulina ou clorela têm ação no combate a cândida, principalmente devido ao seu efeito estimulante sobre o sistema imune. Além de suas propriedades antioxidantes e antiinflamatórias.

VITAMINAS/MINERAIS: o sistema imune necessita de alguns nutrientes para o seu bom funcionamento como a vitamina A, beta caroteno, vitamina E, iodo, selênio, zinco, ácido fólico e biotina. Esta última é uma das vitaminas do complexo B, e também tem atividade evitando a conversão da cândida na sua forma mais invasiva.

ALGAS MARINHAS: são ricas em selênio e iodo que têm atividade de inativar os fungos. Antes do advento das drogas antifúngicas o iodo era o “remédio” mais potente contra a cândida e outros fungos.”

Nutricionista: Patricia Blanche Davidson
Graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Pós -graduanda do curso de Nutrição Clínica Funcional/ UNIB – SP
Coordenadora da Nutconsult
Nutricionista do Hospital Estadual Azevedo Lima
Atua em atendimento nutricional domiciliar

7 ideias sobre “Candidíase

  1. fernanda

    Boa tarde!
    Estou precisando muito do óleo de oregano… vc sabe onde posso comprar? poderia me indicar umas marcas? pode me responder por email?
    Obrigada pela atenção

  2. marli

    Bom dia
    adorei a materia, muita sorte para vocês.
    estou procurando melhor nossa qualidade de vida, pois tenho 2 filhos e quero o melhor para eles.

  3. ainoa

    Olá , tenho essa doença já faz uns 6 anos e agora estou atualizando os conhecimentos para a cura efetivamente , mas cada pagina que leio encontro coisas que não se encontram como por exemplo: em um site x posso comer carnes de todos os tipos e aqui encontro evite carnes vermelhas , voce disse: coco ralado, sementes e alimentos refinados e depois ÁCIDO CAPRÍLICO: é um ácido graxo de cadeia média presente no coco. É um potente agente antifúngico. Então para ficar mais facil o entendimento qual é a diferenca entre coco ralado e coco nao ralado ? atenciosamente ainoa

  4. Admin

    admin
    Olá!

    Tudo bem? Tem pergunta que relamente não sabemos responder porque somos apenas estudiosas do assunto e como você, pesquisamos quase tudo na net. Seria melhor você procurar um profisional e perguntar sobre isso pra ele. Mas te garanto que dieta melhora quase todo tipo de problema… vc é o que vc come. No caso do Lu, ele parou com as bolinhas no pênis após pararmos de colocar açúcar mascavo no suco dele.

    Hoje, coicidentemente recebemos o seu recado e li num site que eu adoro sobre um livro para a cura da candidíase.

    http://curapelanatureza.blogspot.com/

    Leia esse blog, tem muitos artigos e a autora sofria como vc e resolver montar o livro… não comprei mas adoro o site. Se comprar, depois me conta se é bom! Beijokas!

  5. Georgia

    Olá! Tenho um menino com 4 anos e meio. Há dois meses nos demos conta do autismo e imediatamente comecei a pesquisar pela internet a respeito do autismo e da dieta, que está diretamente relacionada (nestes estudos) à cândida. Pois bem, a dieta recomendada para autistas é a mesma dieta recomendada para pessoas portadoras de câncer, e há pouco tempo, começou a circular um email a respeito da pesquisa de um médico italiano a respeito da cândida e sua relação com o câncer, ou seja, desconfio que exista uma relação entre cândida x autismo x distúrbio de atenção x câncer. Então, além da dieta recomendada e da administração de probióticos, comecei a adicionar o bicarbonato de sódio aos sucos de meu filho, assim como também comecei a adotar o bicarbonato de sódio em minha dieta. No meu filho, os resultados começam a aparecer lentamente. Seu corpo ficou repleto da manifestação do fungo na pele, o que acredito que seja o sinal de que está saindo do trato intestinal.
    Em mim mesma os resultados foram surpreendentes. Não tenho mais tido crises de candidíase, meu ciclo menstrual regularizou-se (pela primeira vez em 29 anos), melhorou o sono e o apetite tornou-se regular. Não encontrei nenhum artigo que relacionasse o bicarbonato de sódio (1,50 reais no supermercado) à cura da candidíase, mas tenho obtido bons resultados (sempre lembrando que a cura do fungo é muito lenta, no mínimo o tratamento deve permanecer por 6 meses). A proporção para adultos seria 1 colher de sopa para 1 litro de água. Esta é minha experiência pessoal.

  6. Georgia

    O bicarbonato de sódio estaria relacionado à alcalinização do sangue, o que criaria um ambiente desfavorável ao fungo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>