Fala Doutora – com Simone Pires (Parte 2)

 photo FD1_zps6f1de10b.jpg

Fizemos uma parceria com a Dra. Simone Pires no facebook e abrimos espaço para que as pessoas que seguem a fanpage e o perfil pessoal da Doutora tirassem suas dúvidas sobre autismo. Já postamos a primeira parte das inúmeras perguntas. Hoje é dia de postar mais algumas respostas! Agradecemos a Doutora Simone pela colaboração (ela fez essa segunda parte no final de semana dela). Informação é tudo e através do conhecimento podemos começar a agir. Agradecemos também a todos que participaram compartilhando, perguntando e curtindo.

 photo FD12_zpsfc485a75.jpg

Andréa Araciaba Soares Coelho
• Quais são os quelantes mais utilizados e as indicações específicas de cada um
• Qual exame mais fidedigno para avaliar contaminação por metais?
• É certo afirmar que TODO autista tem alta concentração de metal pesado ?
• O protocolo AC é eficaz?
• Quais as indicações do protocolo MMS?
• A Vitamina C e o Selênio podem ser considerados quelantes a longo prazo?
• Em média, qual tempo de duração de cada protocolo de quelação?

Quelantes são agentes usados para capturar , transportar e ( ou ) eliminar substancias (principalmente metais) do organismo. Existem vários tipos de quelantes: ALIMENTOS, vitaminas, minerais, aminoácidos, medicamentos. A indicação do quelante é sobre o que é necessário quelar.

Muitas pessoas gostam de mineralograma de cabelo para avaliar intoxicação por metais, eu não o uso, e não recomendo para crianças, principalmente abaixo de 7 anos. Gosto de dosagem das porfirinas (acredito ser bem mais confiável).

Toda pessoa que tiver problemas com fases de detoxificação hepática poderá ter problemas com acumulo de metais, tendo em vista que metais EXISTEM em nosso ambiente. Volto a repetir a ideia de algoritmos de tratamento são para dar um delineamento; a ideia de um protocolo fixo somente em peso de uma pessoa sem levar em conta a fisiologia da mesma não me parece muito adequado. Pensar que um protocolo mudará as dose somente baseado em peso, sem levar em consideração VD (volume de distribuição), estado proteico, maturidade celular para mim é inadequado.

Não é possível falar em tempo de tratamento sem falar individualmente , mas pense num tempo mínimo de 6 meses , para fazer protocolos em baixa dosagem

 photo FD13_zps7038f90e.jpg

Helga Ribeiro Guimarães Netto
• Gostaria de saber se todas as crianças com Autismo se beneficiam da dieta sem glúten e como faço para tratar uma criança com seletividade alimentar e problemas de intestino preso?

Se eu pudesse todas crianças começariam com dieta sem glúten, sem soja e sem caseína e caminhariam para carboidratos específicos, esta sim dá muito melhor resultado. Mas faço exames para registrar se há ou não. Todas crianças se beneficiam de dieta sem glúten e caseína? Não, e geralmente por erros cometidos, como aumento de consumo de alimentos com índice glicêmico alto.

Em toda criança seletiva alimentar se trabalha primeiro a seletividade, depois restrição.
Para intestino preso minha sugestão além do básico: aumentar fibras, água; retirar leite de origem animal.

Luciana Calaza
• Dra Simone, meu filho fez o exame IGG 90 alimentos e não apontou alergia a nada. Mas ele tem muita prisão de ventre. Você acredita que, mesmo sem que o exame tenha apontado alergia, eu deveria cortar leite, glúten ou qualquer outra coisa da dieta dele? (eu já estou restringindo leite/caseína, mas aparentemente sem resultado na prisão de ventre).

Existe hoje em dia uns exames duvidosos de Igg alimentares; para começar IgG4 não diz sobre alergia e sim intolerância. Pela prisão de ventre tiraria o leite (indicação clínica). Mas pelo TEA: tiraria também o glúten, a soja e o leite, além de medidas e melhora do ritmo intestinal. Não é somente este exame que te auxilia no diagnóstico do que teu filho pode se alimentar.

 photo FD17_zps1d25fc1f.jpg

Sandra Santos Tadini
• Qual a diferença entre os testes de alergias alimentares feitos com material sanguíneo em laboratórios do exterior (o do Great Plains por exemplo) e os testes cutâneos realizados por alguns alergistas aqui no Brasil? Posso confiar nos testes cutâneos para a elaboração de dietas alimentares para uma criança com gastrite/esofagite e duodenite já que os alimentos que deram alergia no laboratório americano foram retirados a quase um ano e as inflamações no sistema gástrico permanecem? Um beijo e muitoooooo obrigada pelas suas dicas e seus posts que são muito válidos para a grande maioria dos pais de crianças no TEA.

A dosagem do GP é de IgG4, o prick test é para identificação de IgE. Mediadores diferente (totalmente diferente diga-se de passagem). São mediadores diferentes e merecem tratamento diferente, só se assegure que é realmente prick teste o que foi realizado.

 photo FD14_zps7c3f72db.jpg

Shirley Guedes
• Sobre o uso da erva de São João (contra indicado para quem faz uso de suplementos e homeopatia? Qual a melhor forma de uso, gotas ou capsulas para uma criança de quase 6 anos?

Nando Michelle Ribeiro
• Essa novidade mostrada no fantástico, sobre a erva são joão, tem pais fazendo chá e dando para os filhos autistas. Você acha que dá certo?

Ivânia Tozetti
• Olá. Boa noite. Gostaria de saber se meu filho tendo problema de candida pode estar tomando a erva de São João.

Suzana Pereira
• Dra Simone, obrigada por essa oportunidade. Sabemos da busca desenfreada a que muitas famílias se lançaram pela erva de São João, apos recente reportagem sobre sua aplicabilidade no tratamento de uma pequena parcela de autistas. Como muitas famílias não terão condições de pagar por um exame genético que possa diagnosticar o quadro do paciente tratável por essa planta, quais os riscos à saúde de ministrar seu princípio ativo ou mesmo o chá da referida erva aos autistas, sobretudo crianças? Há contraindicações? Como posso saber se meu filho pode fazer uso desses chás ou suplementos?

Para todas as perguntas sobre a erva de são joão: a erva é usada há muito tempo para depressão e ansiedade. Não tem boa indicação para quem tem fotofobia (sensibilidade aumentada á luz, pode piorar um pouco) e quem tem TGO aumentada, mas é uma contra indicação relativa. Pode dar diarreia ou um ritmo de intestino mais acelerado nos primeiros dias de uso, como quase toda fitoterapia em criança . Só deixemos uma coisa clara por favor : o teste realizado in vitro, ou seja, numa célula fora do corpo mostro o potencial de crescimento celular, mas ISTO NÃO FOI TESTADO E OBSERVADO AO VIVO. A pessoa que esta consumindo teve melhora de sociabilidade, segundo Alysson. Ou seja, há uma hipótese de melhora do autismo, dar a erva INFELIZMENTE não irar “curar” o autismo; então dar a erva não muda em nada os procedimentos terapêuticos que devem ser realizados. No resumo então: pode usar a erva, mas por favor, não deixe de fazer nada (terapia, inclusão, medicamento se usar, suplementos se usar) e por favor se puder me relate os efeitos positivos e negativos.

Não sou adepta á modismos, então pare para pensar em todos últimos modismos existentes e lembre-se que seu filho não deve ser uma cobaia.

 photo FD15_zps932500ec.jpg

Suzana Pereira
• Quanto ao eterno problema das vacinas x metais… Uma criança que tomou todas as vacinas recomendadas, inclusive as particulares e as ministradas em campanhas (fluenza, h1n1, etc) até os 4 anos pode/deve para de se vacinar? Até quando?

Vacinas, em minha opinião totalmente pessoal, deveriam ser reavaliadas nestes quesitos: o calendário, a segurança e sua composição. Tem vacinas com níveis ainda considerados tóxicos de metais, como alumínio e mercúrio. Há sobrecarga de vacinas no calendário atual. Sem dúvida alguma vacinas são importantes para controle de doenças, isto não quer dizer que são seguras e que o modo que hoje em dia é o ideal. Não sou anti vacinas, mas seria leviandade falar que toda vacinação é segura.

 photo FD16_zps853a9efe.jpg

Marli De Brito Cavazzani
• Oralidade: acredito que aqui é o que falta minha pequena. O que aconselha?

Eloisa Helena Barbosa Barbosa
• Dra. Tenho um netinho autista e ele ainda não fala, ele tem quatro anos. É assim mesmo? Eles demoram muita pra desenvolver a linguagem?

Elayne Botelho
• Dr. Meu filho tem 2 anos e 10 meses, fala apenas “não” e chama “mamãe”, faz fono e o diagnóstico dela é “preguiça de falar”, ele com seu aninho já falava algumas palavras e parou de falar de repente. Hoje apenas aponta para as coisa, já estuda, interage bem, é detalhista. Nem fono, nem prof, nem pediatra acharam algo de errado nele, mas me preocupo. Qual sua opinião?

Bruna Sobral Sevilha
• Meu filho mais velho tem 3 anos e 7 meses, fala só algumas palavras do português, mas são erradas: “mamãe” é “mama”, “papai” é “papa”,”vovó” é “bobó”, o resto é tudo enrolado. Ele conversa mas as pessoas entendem muito pouco, ele tem dificuldades pra aceitar o “não” e as vezes é muito impulsivo. As consoantes como C,V,G,S e etc ele não consegue falar e substitui por B,P,T,D.

Regina Oliveira
• Um autista pode aprender ou reaprender a falar depois de adulto? Como descobrir as potencialidades de um autista?

Acredito que a grande preocupação é se haverá fala ou não; mas digo que é mais importante se comunicar que falar.
Tem pessoas que falam e não se comunicam.
Também há perguntas a serem respondidas: a pessoa já olha quando chamada? Tenta imitar? Tem tônus facial adequado? consegue mastigar e deglutir? Estes são pré requisitos importantes.
Cada pessoa se beneficiara de técnicas diferentes: haverá os que se beneficiarão em terapias de fala funcionais, há os que se beneficiarão de linguagem alternativa; há os que se beneficiarão de terapias de fala como de programas do ABA.

Acredito que alguns itens deverão ser desmistificados:

• Padovan – é reorganização neurofuncional (muitas vezes feita por fono), NÃO SUBSTITUI a terapia praticada por fono
• PECS e linguagens alternativas – NÃO PREJUDICAM A ORALIDADE (aprendi isto na pele, diga-se de passagem)
• Não há idade limite para pessoa falar, mas se puder ajude –a com outros meios para que a comunicação venha e diminua todo stress sobre não comunicar-se
• Não acredito em dois itens: “preguiça da criança” e “o tempo dele”]

 photo FD7_zps1b052cfa.jpg

Todas as perguntas serão respondidas. Esta é a segunda parte de uma série. Foram mais de 60 perguntas. Ficamos impressionadas com a rapidez da Doutora Simone em responder as primeiras e principalmente dela ter utilizado seu final de semana para responder a segunda parte. Ela fez na parte do tempo livre dela. Agradecemos MUITO por essa parceria.

Fala Doutora – com Simone Pires (Parte 1)

 photo FD1_zps6f1de10b.jpg

Fizemos uma parceria com a Dra. Simone Pires no facebook e abrimos espaço para que as pessoas que seguem a fanpage e o perfil pessoal da Doutora tirassem suas dúvidas sobre autismo. Recebemos as primeiras respostas e vocês podem acompanhar abaixo. Agradecemos a Doutora Simone pela colaboração. Informação é tudo e através do conhecimento podemos começar a agir. Agradecemos também a todos que participaram compartilhando, perguntando e curtindo.

 photo FD2_zps330281cf.jpg

Ju Lanzarini
• Onde eu posso aprender mais sobre DAN? Algum curso, livro, apostila?

O movimento DAN! (Derrote o Autismo Agora) iniciou em 1940 com Bernard Rimland; em 1967 fundou o Instituto de Pesquisa em Autismo (ARI), e fundador da Sociedade de Autismo da América (ASA, em 1965). Para saber mais sobre o movimento veja o www.autism.com; não há mais treinamento médico pelo ARI, mas todo ano tem o congresso Autism One em maio, em Chicago – EUA (vale a pena ir), há indicações de livros lá também.

Marico Prestes Soares
• A medicina alopata diz que o Protocolo Dan, não tem base científica, mas qual é o índice de porcentagem de melhora nos casos de autismo? Um dia perguntei a uma médica psiquiatra e ela me disse que para comprovação científica é necessário que este índice ter no mínimo 30%!

A proposta é uma ação funcional sobre diversas diretrizes, algumas existem comprovações outras não, nos links do ARI você poderá ler sobre os trabalhos publicados e ver as porcentagens de sucesso ou insucesso.

Marina Remiggi
• Olá Dra! Quais seriam os primeiros passos para iniciar o tratamento biomédico? Já estamos com a dieta (SGSC, açúcar e soja) probióticos (Theralac e Culturelle), suplementos (Spectrum Mate e Speak) e fazemos Cease desde maio… meu filho está com 2anos e 11meses e ainda não desenvolveu a linguagem verbal…

Os primeiros passos do tratamento, olhando pela filosofia do movimento DAN!, são a limpeza de dieta e toxinas ambientais, dieta especifica, suplementos específicos para cada um, medicamentos necessários e exames para avaliar a parte bioquímica.

Andrea Isopo
• Quando uma criança autista desenvolve TOC e este começa a ficar fora de controle, a terapia comportamental não está sendo suficiente, o que você trataria no organismo desta criança? O que deve ser olhado com mais atenção? Você tem algum livro sobre este tema para nós indicar?

O TOC é um desequilíbrio de neurotransmissores, isto é o que tem que ser avaliado. Não sei um livro especifico de neurotransmissores e TOC (deve existir).

Cristiane E Eduardo Okuyama
• Boa tarde Dra. Simone, nunca fiz nenhuma dieta com meu filho, mas realizei uma bateria de exames e o mais singular foi zinco,B6 e cetinuria na urina,mas fica muito claro para mim alguma relação intestinal,pois ele nasceu com mega cólon congênito e nunca dormiu bem.Tem alguma relação mega cólon com autismo?

O megacolon, pode ser congênito ou adquirido, se somente o intestino grosso foi afetado não há ligação direta com TEA. (Autism Research Institute)

*Links colocados pelo Blog para facilitar a busca.

 photo FD3_zps9f8f337a.jpg

Elaine Cristina Pereira da Silva
• Existe a possibilidade de regressão de habilidades aprendidas em autistas em qualquer idade?

Acredito que a pior poda neurológica é a com 4 anos e meio; mas vejo muita habilidade que não está adequadamente concreta ser perdida; por isso alguns pais descrevem “meu filho fazia tal coisa e não faz mais.”

 photo FD6_zpsb9f4eeec.jpg

Shirley Guedes
• Para criança que dorme a noite toda, mas dorme tarde, seria recomendado dar melatonina?

A principal indicação da melatonina é para melhora de inflamação cerebral , o sono é o efeito secundário; então sim, pode haver indicação de melatonina mesmo para crianças que dormem bem; mas também existem outras opções.

Izabel Esmero
• Varias vezes notei, principalmente a noite, quando meu filho toma coca cola a noite, meu filho demora a dormir, mesmo tomando seus remédios, esse refrigerante pode deixá-lo mais esperto ou é só impressão minha? Obrigada.

Toda pessoa que tomar coca-cola a noite poderá ter alteração de sono, pela fenilalanina e açúcar; bem como quem consumir alimentos com índice glicêmico alto.

 photo FD5_zpscd4360ca.jpg

Francisca Furtado
• Adorei sua iniciativa em responder perguntas sobre autistas. Meu filho tem 12 anos e sempre foi muito discriminado, tachado de preguiçoso. Ele estuda na mesma escola desde o jardim, agora está no 5º ano e sempre é chamado de louco pelas outras crianças. As professoras ficam comparando ele com as outras crianças que têm um desempenho melhor, tendo a mesma idade. Tenho me esforçado para aprender a ajudá-lo quando as atitude das pessoas em relação a ele o deixam depressivo. Você acha que seria interessante trocar de escola? Meu filho Daniel tem asperger.

Francisca, minha humilde opinião: a pessoa tem que estar bem na escola; se for viável mudar a postura da escola. Se ele quiser permanecer na mesma eu investiria em educar a escola; mas se ele está disposto a mudar, conheceria novas opções. Médico não é o melhor profissional para opinar sobre isto, ainda mais sem conhecer seu filho. Troque informações com os terapeutas pois eles conhecem melhor a sua criança.

 photo FD4_zps1d35928d.jpg

Andréa Araciaba Soares Coelho
• O uso de medicamentos antifúngicos podem alterar função hepática?

O uso de antifúngicos pode ocasionar sobrecarga em fígado e rim, e pode alterar os exames.

• Na vigência de infestação fúngica maciça pode-se associar medicamento e suplemento específico (tipo Candex, Candida Support etc)?

Não acredito ser interessante o uso de homeopatia para fungos junto com alopatia, penso que são interessantes em tempos diferentes.

• Dieta especifica para combate aos fungos é eficaz?

O uso de diversas formas de tratamento é eficaz, mas avalia-se se o paciente consegue (tem suporte) para isto. A dieta isenta de carboidratos fornece uma boa dieta para quem quer diminuir o excesso de fungos. Lembrar que a GAPS é derivada da carbo especifico.

Shirley Guedes
• A quebra contínua da dieta pode atrapalhar o tratamento de fungos intestinais, sendo necessário recomeçar o ciclo dos probióticos novamente?

A quebra de dieta pode atrapalhar o tratamento. Mas vejam, fungos EXISTEM em nosso corpo, a intenção é estar em equilíbrio e não aniquilá-lo.

 photo FD8_zps79864866.jpg

Claudete Queiroz Goes
• Gostaria de saber, se é importante suplementar com a vitamina D e B, as crianças autistas. Obrigada.

Cada paciente, em qualquer idade, pode se beneficiar do uso de vitaminas, desde que necessite.

Cleide Paulo
• Essas vitaminas também são aconselhadas pra crianças de 5 anos? Tem alguma no Brasil ou só pedindo pela net?

Os suplementos são usados até que a função de absorver da própria BOA alimentação esteja reintegrado. Existem situações onde megadoses de vitaminas são necessárias e existem situações onde não há insuficiência, mas pode –se melhorar outra função orgânica com determinada vitamina.

Nota do blog: Um laboratório aqui do Brasil produz a MB12 injetável.
São essas as informações: MB12 vai ser produzida pela Pineda e pode ser pedida com receita médica no e-mail: orcamento@pineda.com.br

Leila Merten
• Quais os progressos para um adolescente autista a terapia LDN Naltrexona e a vitamina D?

LDN tem boa indicação para imunidade, mas observa-se melhora na agressividade, adolescente ou não. Vitamina D é um dos casos onde observa-se melhora de formação de dopamina, imunidade e outros, independente da idade. A vitamina D é considerada um hormônio hoje em dia; tem muitas boas funções, mas não existem bons relatos com megadoses.

 photo FD10_zpsa06f38ba.jpg

Andréa Araciaba Soares Coelho
•Dr. Neubrander e Dra Yasco tem pontos de vista diferentes sobre a B12. O primeiro acredita que todos podem se beneficiar da metil B12, a segunda leva em consideração as mutações genéticas e para determinados indivíduos só indica hydroxy B12. O que você pensa a respeito?

Eu gosto do nutrigenoma e todo histórico de bioquímica e o respeito; na vida nada é 100% ou 100% errado, mas dentro da visão de B12, respeito a genética; não radicalmente a ponto de não usar Methyl ou usar megadoses de hydroxi (pela neuropatia ocasionada).

• Levando em consideração a linha da Dra. Yasco, qual dosagem máxima ao dia de hydroxy B12 (4.000 mcg/dia)?

Não falarei em doses, em nenhum comentário. Nem darei receitas de bolo, pois sabem que os únicos bolos que faço são os que são bolos de verdade. Não acredito em protocolos rígidos. Acredito em algoritmos: bases para você estipular o caminho, RESPEITANDO A INDIVIDUALIDADE; se fosse para fazer protocolos pré prontos não haveria necessidade de estudar cada paciente.

Ana Karine
• Considerando que uma criança está infestada de parasitas e que a b12 alimenta os parasitas, eu penso que o melhor mesmo seria não utilizar a b12 até matar os parasitas. Por outro lado, como todos nós temos um número de parasitas e o sistema imunológico dos nossos filhos não é dos melhores, seria viável pensar que, após uma diminuição considerável (mas não normalização total), a tese da hipermetilação poderia funcionar e a b12, em um momento desse, poderia ser uma opção para não alimentar parasitas mas disparar o sistema imunológico, especialmente pós quelação?

Ana Karine, minha querida Ana, a visão da criança “ higienizada”, sem microorganismos é anti-natural; todos devemos ter nosso microbioma em equilíbrio; a melhora da imunidade você poderia conseguir com e pós quelação através de outros meios, que não só a hipermetilação (que também aumenta o potencial carcinogênico); é um caminho, mas existem outros mais seguros de garantir os futuros RNAs .

 photo FD9_zpsff6d7a98.jpg

Adriana Wagner
• Como é definido o grau do autismo?

Pelo DSM V você tem diferentes classificações: grau leve, moderado ou grave . Em meu entender isto é extremamente vago quando você quer trazer terapias e metas. Acredito que avaliações de psicólogos, fono e sensorial seriam as mais indicadas. Avaliações especificas para cada idade, por exemplo fazer o CARS para menor de 4 anos não é muito valido (teste bem indicado para maiores de 4 anos). Eu, Simone, gosto de avaliações que possuam tabelas de comparação para você acompanhar a evolução da criança com a proposta terapêutica aplicada. Mas Adriana, sou médica nutróloga, apesar de estudar muito sobre autismo, as classificações em graus não são algo que me apegue, ou que eu faça.

 photo FD11_zps5cbb4fa8.jpg

Elisangela Oliveira
• Sou voluntaria em um orfanato de crianças com as mais diversas debilidades mentais e físicas. Gostaria de saber como relaxar uma criança autista quando ela tem uma crise que a faz gritar, bater a cabeça…. Como sou totalmente leiga, gostaria de saber se há alguma literatura que me permita entender um pouco mais o mundo dentro dessas crianças. Obrigada. Parabéns a todos pelo trabalho.

Pergunta complexa da Elizangela. Esta resposta especialmente para ela:

1-*****ENSINAR A CRIANÇA A SE COMUNICAR.
2- Inciar uma limpeza na dieta, orientar família para diminuir aditivos alimentares, corantes alimentares, GLÚTEN (obrigatoriamente) e açúcar.
3- Averiguar (avaliação medica mesmo) se não há nada orgânico (dor, otite, e outros)
4- Avaliação das alterações sensoriais (avaliação por profissional capacitado)
Massagens, aromaterapia, terapias com banho ou moxa, medicina chinesa poderão ajudar os sintomas. Mas OBRIGATORIAMENTE tem que observar e descobrir a causa.
Não há uma literatura especifica, mas veja sobre sensorial (gosto do blog da Johanna Franco)

*Links colocados pelo Blog para facilitar o entendimento.

Jesse Jacques
• Desejava saber detalhes de porque e quando dos gestos dos autistas olhando para a palma das mão/mãos. Em público chama muito a atenção e os olhares curiosos dão certo constrangimento. (Com o meu, de 6 anos a freqüência maior são reflexos de momentos alegres e euforia, está contente com algo ou sobre alguma coisa ou situação.) A segunda pergunta é como prevenir ou controlar os momentos de crise e gritos quando contrariado. (Às vez é muito difícil…!!)

Jesse, é necessário saber o perfil sensorial de seu filho e fazer tratamento. Quanto as crises: -*****ENSINAR A CRIANÇA A SE COMUNICAR. A CRISE VEM MUITAS VEZES É POR NÃO SABER SE COMUNICAR.

Silvia Peixoto
• O que você usaria para melhorar a ansiedade e dificuldade de controle de impulsos de uma criança autista?

Silvia toda antecipação dos fatos (dicas visuais de preferência) auxiliam a diminuir a ansiedade.

Rozivania Trajano Barreto
• O uso do NAC reduz a irritabilidade? o que acha do uso do NAC para o meu Davi?

Vania, minha pequenina querida, o NAC bioquimicamente é usado para aumentar a glutationa, e sim, diminui agressividade, mas não são todos pequenos que podem usar (quem tem fungos ou outra disbiose precisa corrigir primeiro). Não darei receitas por aqui, rs.

Marcione Coelho
• A alimentação tem influência no comportamento?

Marcione, sabe-se que o glúten aumenta agressividade e que açúcares e corantes dão hiperatividade e podem tirar a atenção. Então, sim, os alimentos podem influenciar o comportamento.

As perguntas de Elisangela, Jesse e Silvia poderão ser melhores explicados por especialistas das áreas terapêuticas, mas lembre-se:

• Antecipar ajuda (dicas visuais)
• Ensinar comunicação – e comunicação não é só linguagem falada – defendo PECS e outras comunicações alternativas sim, elas são eficientes. O trabalho da fono funcional é fantástico e pode ser aliado com linguagem alternativa.
• Descarte alterações orgânicas (dor, otite, e outros)
• Adoro massagens relaxantes (Shantala, Tui Ná), medicina chinesa, aromaterapia. Mas estes poderão ser paliativos (no caso da medicina chinesa pode ser curadora também).

*Links colocados pelo Blog para ajudar no entendimento

 photo FD7_zps1b052cfa.jpg

Todas as perguntas serão respondidas. Esta é a primeira parte de uma série. Foram mais de 60 perguntas. Ficamos impressionadas com a rapidez da Doutora Simone em responder as primeiras. Ela fez na parte do tempo livre dela, de noite. Agradecemos MUITO por essa parceria.

Como Estrelas na Terra

Hoje o post é sobre um filme… não, não é um filme de autismo. É um filme sobre INCLUSÃO, um filme maravilhoso, que deve ser assistido por todos. A trilha sonora toca enquanto o post está sendo escrito. Músicas que fazem nossas células dançarem, nosso coração se encher de esperança e nossa mente agradecer a Deus por cada um que trabalhou nessa produção fantástica. Um elenco iluminado, uma equipe do bem, que transformou a realidade de muitos em uma obra magnífica.

 photo t1_zps5459107e.jpg

Snopse:

Ishaan Awasthi é uma criança de oito anos de idade, cujo mundo está cheio de maravilhas que ninguém mais parece apreciar; cores, peixes, cães e pipas não são apenas importante no mundo dos adultos, que estão muito mais interessados em coisas como lição de casa, bons resultados e asseio.

Ishaan não possui muitos amigos e apresenta muitas dificuldades na escola, tendo sido reprovado no ano anterior. Já seu irmão é o melhor da classe, tendo sucesso nos esportes também.

Após uma reunião com os professores de Ishaan, que informam aos pais que o menino não apresenta avanços na escola, eles decidem enviá-lo para um colégio interno para que seja disciplinado e consiga êxito nos estudos. O menino se torna cada vez mais triste e solitário, sofrendo severas punições dos professores.

O clímax do filme é o encontro com o professor Nikumbh (Aamir Khan), que além do trabalho no colégio, leciona também em um colégio para crianças com necessidades especiais. É com o trabalho realizado pelo professor Nikumbh com os outros professores e com a família de Ishaan, que o garoto começa a compreender o mundo da leitura e da escrita e vê sua infância tomar um rumo diferente

 photo t2_zpse0261d29.jpg

O filme mostra o dia a dia e as dificuldades de uma criança com dislexia (que poderia ser outra dificuldade de aprendizagem, autismo, TDAH, síndrome de down, e até uma criança típica sem interesse pela escola) mas o foco não é os problemas do personagem e sim uma mensagem para o mundo sobre o verdadeiro papel de um educador na formação de um novo ser humano. Não estamos falando de professor e sim educador (professores, mediadores, diretores, coordenadores, disciplinares, etc). Estes profissionais podem influenciar de maneira positiva ou negativa na vida de um estudante. Educar é um conceito amplo que vai além de “dar aulas”. A pedagogia tem o dever se ser curativa. O educador tem que ter um olhar amplo e ser exemplo, acima de tudo.

 photo t11_zpsf706b952.jpg

O aluno que não para quieto é o aluno que não tem educação, o aluno que tem letra ruim é um aluno desleixado, um aluno que dorme na aula é um aluno preguiçoso, um aluno que tira notas ruins é um aluno burro. Até quando? Se for pra rotular um estudante, o rotule de INCRÍVEL. Acreditar no potencial dos alunos é o objetivo. Quando a criança não aprende, não julgue, mude a maneira de ensinar. É uma troca. O educador ensina e aprende com cada aluno.

O filme também mostra o verdadeiro significado de CUIDAR. Mostra a família lidando com as dificuldades do filho. Ao invés de focar nas dificuldades da criança, foque no que ela sabe fazer e utilize o seu interesse para ajudar a criança a superar suas dificuldades.

No filme, o professor, em conversa com o pai, faz uma bela reflexão:

“Nas Ilhas de Salomão, quando os nativos querem parte da floresta para a agricultura, eles não cortam as árvores. Eles simplesmente se juntam ao redor delas, gritam xingamentos e dizem coisas ruins. Em alguns dias a árvore seca e morre. Ela morre sozinha.”

Nossas palavras têm poder e podem ser veneno ou remédio, matando ou curando. Temos que pensar muito antes de falar algo.

Pra concluir, temos que rever todo o sistema de ensino. As escola hoje focam muito no intelecto e esquecem o coração, focam nos resultados e não no esforço. Cada vez mais estão receitando remédios, dando aulas comuns (cuspe e giz) e transformando a escola em cadeia. Ninguém pode pensar diferente, questionar, debater… Pedimos, encarecidamente, que espalhem esse vídeo, que aulas lúdicas sejam dadas, que os professores tragam os ensinamentos para o concreto e que eles ensinem através de jogos, vídeos, canções, viagens, experiências, aulas em locais diferentes… ensinem os alunos a pensarem ao invés de darem conceitos prontos. Aulas lúdicas não devem ser dadas apenas na infância e sim por toda a vida escolar. Em nossa pós em Educação Especial com ênfase em autismo nunca tivemos uma aula comum. Todas as aulas tinham vídeos, discussões, danças, etc.

Prepare um lanchinho, apague a luz, esparrame colchão na sala (ou na escola) e aperte o play! Ah, não esqueçam os lenços… não há como não emocionar.

 photo t5_zps61070d48.jpg

Ficha Técinica

Título original: Taare Zameen Par
Título no Brasil: Como Estrelas na Terra
Diretor: Aamir Khan
Produtor: Aamir Khan
Editor(a): Deepa Bhatia
Roteiro original: Amole Gupte
Cinematografia: Setu
Música de: Shankar–Ehsaan–Loy/Prasoon Joshi
Distribuído por: Aamir Khan Productions (filme)/UTV Home Entertainment (DVD) na Índia
PVR Pictures (filme)/Walt Disney Company Home Entertainment (DVD) no resto do mundo
Gênero: Drama
Duração: 02h 43min
País de origem: Índia
Linguagem: Hindi/Inglês
Ano de lançamento: 27 de dezembro de 2007
Site oficial: http://www.taarezameenpar.com/

 photo t4_zps906612a0.jpg

Elenco

 photo t8_zpsce3f4ac0.jpg

Aamir Khan —— Como professor Ram Shankar Nikumbh
Darsheel Safary —— Como Ishaan Awasthi
Tisca Chopra —— Como Maya Awasthi (mãe de Ishaan)
Vipin Sharma —— Como Nandkishore Awasthi (pai de Ishaan)
Sachet Engineer —— Como Yohaan Awasthi (irmão de Ishaan)
Tanay Chheda —— Como Rajan Damodran
M.K. Raina —— Como Diretor
Lalita Lajmi —— Como ela mesma (juíza da competição de pintura)

A produção de “Taare Zameen Par” foi extremamente crítica, e encontrar o filho perfeito para o protagonista era o aspecto mais importante. Testaram cinco mil jovens em geral, em oficinas infantis, escolas e através de agências de casting. Darsheel foi detectado pela primeira vez no show de Shiamak Davar, uma banda indiana, por Aamir Khan e Amole Gupte, e ele foi chamado para uma audição com outras crianças. Assim que Aamir viu o primeiro teste de tela de Darsheel Safary, olhos expressivos da criança o fizeram perceber que ele ele era perfeito para o personagem.

As crianças com deficiências graves que participaram das filmagens ensaiaram um mês, se preparando para o filme e também para as comemorações anuais da escola, que coincidiram. Foi providenciado uma equipe de coreografia para realizar esse trabalho com as crianças.

A trilha sonora é um caso a parte! As músicas aparecem como clipes, mostrando cenas que complementam a história que está sendo contada naquele momento, porém sem diálogos.

Além dos prêmios de melhor filme e melhor ator pela crítica, TZP (Taare Zameen Par) ganhou também o prêmio de melhor direção, para Aamir Khan, e de melhor letra de música para “Maa”, que significa “mãe” em hindi.

Não vamos colocar os cliples aqui pois senão quem não viu o filme vai ficar sabendo muitas coisas e perderá a graça. Fiquem com esse abaixo para sentirem o quão diferente é este filme. Uma obra inspiradora.

Convivemos com estrelas na Terra. Que o brilho delas se espalhe e que a gente possa aprender mais e mais com cada uma delas. Esses seres iluminados são mestres em nossas vidas.

Fontes:

Site Oficial Retiramos imagens, curiosidades, resumo.
Filmes da Índa Retiramos parte do resumo, Ficha do filme, Elenco, imagens. Dá para baixar a trilha neste endereço.
Cinema Indiano Excelente link. Retiramos informações sobre a trilha e curiosidades.

Funções Executivas

Esse post é um complemento do post sobre memória e atenção. Resolvemos dedicar um post só para esse tema, pois assim o outro post não ficaria longo demais e para que vocês leiam com atenção sobre essas funções que são tão importantes no nosso dia a dia.

 photo FE9_zps7415f38f.jpg

Funções executivas (FE) são funções reguladoras do comportamento humano, funções necessárias para formular metas e planejar como alcançá-las. São todas as atividades mentais autodirigidas que ajudam uma pessoa a resistir a distração, solucionar problemas internos e externos e criação de estratégias para alcançar um objetivo.

Vamos dividi-las em duas categorias principais: habilidades de pensamento e auto-regulação.

 photo fe1_zps085ff25b.jpg

Muitos alunos têm problemas com o funcionamento executivo, em especial os com autismo e TDAH.

É importante reconhecer que o funcionamento executivo não está relacionado com a inteligência. Você pode ter um QI de gênio e ter um sério comprometimento para habilidades em FE. Da mesma forma, você poderia ter um QI mais baixo e tem grandes habilidades e ser capaz de funcionar no dia-a-dia de forma mais eficaz. É importante reconhecer que as dificuldades em FE não são preguiça. O aluno não faz sua lição de casa porque ele não consegue. Muitas vezes, esse mesmo aluno, passa horas a cada noite tentando, mas não realiza a tarefa. Déficits de funcionamento executivo são reais e temos que trabalhar para resolvê-los e ensinar o aluno a ser mais capaz de ajudar a si mesmo para ser bem sucedido.

Existem algumas chaves para abordar habilidades de funcionamento executivo que significa ir além de apenas ensinar estratégias individuais. O foco deve ser em ensinar os alunos a desenvolver, utilizando estratégias de acesso e utilização, e não apenas fornecer acomodações.

Então, quando avaliar os déficits de uma pessoa, uma das principais perguntas que precisamos fazer é se é um déficit de motivação ou um déficit de habilidade. Muitas vezes é uma questão de motivação. Isso significa que temos de encontrar formas de motivação do indivíduo para utilizar as estratégias. Acabamos focamos no problema e achamos que ele é difícil e ele não é. Vamos pegar o exemplo de um autista que não quer ir pro banho e isso acontece diariamente. Esse é um problema muito comum entre autistas por uma variedade de razões. Em primeiro lugar, muitos desses indivíduos não reconhecem o impacto que não tomar banho tem sobre uma rotina por causa de seus déficits sociais. Tem também questão sensorial, que torna esse momento complicado. Tudo isso diminui a motivação. Se a criança não sabe como encaixar o banho na sua rotina sem se desregular, então precisamos pensar em formas de motivá-lo para tomar motivadores externos que vão além do normal que é se sentir fresco e limpo (o reforçador para a maioria de nós). Esta criança não é preguiçosa; ela não está motivada para superar problemas reais que tornam o banho difícil e sem sentido para ela.

 photo fe5_zps3880d585.jpg

Uma vez que podemos determinar se a função subjacente dos comportamentos é a motivação ou habilidade relacionada, podemos começar a desenvolver intervenções baseadas nessas funções. Se é uma questão de motivação, precisamos aumentar o reforço para completar a tarefa usando a estratégia ou diminuir o esforço envolvido, de alguma forma, de modo que não é preciso tanta motivação. Exemplo: Se a criança (adolescente ou adulto) não quer tomar banho, você tem que tornar a atividade atraente e usar algum reforçador: decorar o banheiro, comprar brinquedos de banho, mostrar a importância do banho, levar personagens preferidos para tomar banho junto, premiar com elogios cada etapa conquistada. Outra maneira de agir é diminuir o esforço: faça pequenas metas. Não exija que a criança tome banho sozinha todos os dias de forma perfeita como um passe de mágica. Brinque no banho e o ajude a fazer tudo. Depois que ela estiver adaptada ao ambiente e o banho tiver na rotina, comece a ensiná-lo a tomar banho sozinho aos poucos. Primeiro ensine a lavar as mãos e braços, o resto com ajuda, depois as pernas e pés, até se lavar por completo. Depois ensine a escolher roupas, colocar, etc. Tudo aos poucos.

 photo fe10_zpsd2f59677.jpg

Se é um déficit de habilidade, então nós temos que dividir a tarefa e ensinar os passos sistematicamente. Se um aluno tem dificuldade para fazer um trabalho a longo prazo porque ele não consegue organizar os passos e seguir adiante, então temos que ensiná-lo a adquirir essa habilidade.

Distribuir a tarefa em passos (por exemplo, escolher um tema, pesquisar o assunto, fazer um esboço, escrever um rascunho, escrever o projeto final); em seguida escrever os passos em um calendário com a data final (data da entrega). Obs: Fazemos isso também com tarefas de casa: se a tarefa é pra daqui a dois dias, fazemos metade em um dia e metade em outro. Quando tem que entregar tudo no mesmo dia dividimos assim: Quando você chegar no número 3 te damos pausa de 10 minutos. Quando você chegar no 6 paramos para assistir um vídeo sobre máquinas de lavar. Quando acabar você ficará livre pra descansar e fazer o que quiser. E colocamos no concreto, em uma folha a parte todas as tarefas e a medida que vão sendo concluídas, riscamos e comemoramos!

 photo fe2_zps934dca0f.jpg

Temos que oferecer estratégias e não acomodações para que o autista adquira independência como os outros alunos e domine habilidades FE. Depois temos que ensiná-los a criar suas próprias estratégias de planejamento e organização. Temos que ensiná-los também a lutar pelos seus direitos: mais tempo nas provas, provas adaptadas, etc. É claro que isso acontecerá com autistas verbais e mais velhos.

A verdade é que todos nós usamos acomodações e estratégias para nos ajudar com funcionamento executivo. Usamos post-it, bips em celulares, secretárias que comandam as agendas, etc. Mas temos que trabalhar a diminuição de ajuda até que a pessoa consiga agir de forma independente. Temos que preparar nossos meninos para o ensino fundamental II, ensino médio, faculdade e mercado de trabalho desde que eles são pequenos.

 photo FE12_zps93b2cd79.jpg

Outras estratégias:

- Pense em um mural estratégico ou para toda a classe com ferramentas para organizar materiais, tarefas e tempo de cada atividade.

- Ter tempo para a reflexão em sala de aula ou atividades para que os alunos adivinhaem quanto tempo cada atividade vai tomar.

- Escolher, a cada atividade, um aluno para cuidar do tempo. Ele fica com um temporizador e avisa quando acabar o tempo da atividade.

- Trabalhar com eles o uso de um calendário para que possam planejar seus deveres.

Concluindo e recapitulando:

As principais funções executivas “básicas” são:

- atenção (seletiva, concentrada e difusa);

- memória de trabalho;

- controle inibitório (contenção dos impulsos);

- auto-regulação (inclusive emocional)

- Metacognição (capacidade de raciocinar sobre o próprio conhecimento cognitivo).

Essas funções executivas básicas são a base para a estruturação de processos executivos mais complexos como:

- planejamento (requer alto grau de atenção, memória de trabalho, adequado controle inibitório e auto-regulação, além de uma habilidade metacognitiva aguçada);

- tomada de decisão (também requer o uso de todas as habilidades acima citadas);

- flexibilidade cognitiva (considerar diversos pontos de vista, aprender rapidamente e mudar de estratégia quando as estratégias previamente aprendidas já não surtem mais o efeito desejado);

- manutenção do foco e persistência ao alvo (capacidade de manter “na sua mente”, por períodos que podem ser relativamente longos, o seu objetivo e persegui-lo, mesmo que precise mudar de estratégias e fazer novas re-avaliações e planejamentos).

Brinquem junto com suas crianças, adolescentes e até adultos! Fiquem com a mensagem abaixo!

 photo FE11_zps875b62f0.jpg

Fontes:

Este post é tradução deste link (inclusive imagens) com adaptações do Estou Autista!
A Special Sparkle
July Neuro
Sweet land – imagem coração

Um dia inesquecível!

Desde que Lu é pequeno levamos as paixões dele á sério! Sempre achamos que esse era o caminho, a porta de entrada para uma conexão cada vez mais forte! Antes de conhecermos as informações que temos hoje, antes de sabermos da existência do son rise, já sabíamos que para conquistá-lo, deveríamos mostrar pra ele que ele podia confiar na gente, que a gente não achava um bebê que gostasse de motores esquisito. E era assim: levávamos ele no parquinho e a invés de ele querer ir no pula pula inflável, ele ficava interessado na bomba de ar ou no cooler do motor dos brinquedos ou brincava de forma inadequada com os brinquedos, principalmente se tinha algo que dava para girar! Claro que no começo a gente ficava meio frustrada pois todas as crianças estavam pulando alegres e a gente achava que ele estava perdendo tempo olhando o motor. Até que um dia pensamos: mas o parque dele é esse… os motores!!!

 photo 6_zps4e4d4ce0.jpg

 photo 7_zpsc29f31a3.jpg

Bom, pra quê explicar isso tudo? Porque hoje, Lu tem quinze anos e se enumerarmos as paixões dele que se tornaram nossas paixões, vocês vão achar o gosto dele muito exótico (tá bom, esquisito, se preferir): antenas internas (em uma época de TV a cabo), hidrômetros, relógios, collers, ventiladores, máquina de lavar…

Lu AMA ventiladores e máquinas de lavar! Em seu tempo livre Lu assiste vídeos de máquinas de lavar de todos os tipos: funcionamentos, funções, reclamações, apresentações, etc. Por conta disso nessa busca pelo youtube sobre o tema, ele se apaixonou por um canal chamado “Roupa Suja se Lava na Máquina”. O dono desse canal se chama Fernando Ricci e ele faz vários vídeos sobre as funções das máquinas que ele recebe para testar. Ele fala das funções, dos lançamentos, do tempo, dá dicas… Lu ama e vê o mesmo vídeo várias vezes e a partir disso ele começou a fazer seus próprios vídeos, filmando e narrando, como Fernando faz. A partir disso ele gosta de ir na Fast Shop filmar as máquinas (pois nessas lojas as máquinas funcionam para teste e em outras não), gosta de entrar em lojas de eletrodomésticos (e sim, vamos ao shopping e ficamos 2 horas com ele na loja esperando os vídeos ficarem prontos), ama por a roupa da casa dele pra lavar (está sofrendo um pouco porque com essa falta de água não pode ficar lavando roupa toda hora, mesmo a máquina dele sendo ecológica).

Fernando ficou sabendo que o Lu existe quando entramos em contato com ele falando que Lu adora o canal. Lu não queria estudar, estava na fase de não querer nada com a dureza (adolescência) e então tivemos a ideia de pedir para que Fernando o incentivasse mostrando que para tudo na vida, é necessário dedicar-se, estudar, persistir! Ele até fez um vídeo especial só pro Lu, mostrando o motor de uma máquina pequena e falando pro Lu que ele estudou muito pra ter esse canal, que Lu tinha que se dedicar bastante na escola… Lu amou o vídeo, ficou muito feliz mesmo… tão feliz que demorou uns dias pra assistir depois que ficou sabendo da existência de um vídeo especial pra ele… ele ficou sem reação!!!

E depois desse vídeo, Lu se achou íntimo do cara! Queria ir visitá-lo de qualquer jeito! E então, entramos em contato, marcamos um dia e seguimos viagem pra Sampa! Ficamos hospedados na casa da Fernanda, nossa irmã, e foi bem na época da copa do mundo. Saímos cedo de casa para não atrapalhar o Fernando a ver nenhum jogo e ficamos a manhã toda lá! Lu ficou louco em ver o Fericci (nome dele no canal) em carne e osso! Haviam muitas máquinas, filmamos, colocamos todas pra funcionar, brincamos com os gatos dele, fizemos amizade e até descobrimos algumas coisas em comum dele com Lu. Ele adora máquina desde pequeno, gosta de jogar o gênios (aquele jogo de memória que hoje chama simon), e sempre defendeu as máquinas de lavar… rimos muito com as histórias!

Fernando é muito gente boa e ficou muito feliz de nos receber e sentir tanto carinho e fez questão de falar isso pro Lu e pra nossa família! Nós saímos de lá com vontade de voltar mais vezes e também de recebê-lo em Uberaba! Foi um dia marcante para Lu, Fernando e principalmente para nós, que fazemos questão de levar as paixões de Lu a sério pois através disso, além dele ficar feliz, ele confia cada vez mais na gente, se sente aceito e acolhido e percebe que damos o nosso melhor por ele!

 photo 4_zps061b579b.jpg

Portanto, se você vê que seu filho gosta de alo que você acha esquisito, tente ver o porquê! Vá além no seu olhar e o apoie! Isso vai fortalecer a relação de vocês cada vez mais. Não há nada prejudicial nisso e não é perda de tempo como muitos pensam… Ah, vou passar o dia conversando sobre ventilador? Vou ficar pesquisando sobre dinossauros? Vou ver Peppa Pig à exaustão? Sim!!! Mas vai aprender a gostar disso, a se divertir e vai se dar uma chance de aprender muitas coisas! Muitos falam em trazer o autista pro nosso mundo… mas acham chato entrar lá no mundo deles… incoerente né? Querer uma coisa pro outro que a gente não faz? Toda relação começa de uma ponte e nunca vimos ninguém começar a se relacionar com o outro através de interesses incompatíveis, rs. Uma amizade, um namoro, um casamento, tudo começa com afinidades!

 photo 3_zps81c72581.jpg

 photo 2_zpsdac5d8ba.jpg

 photo 5_zps56e57f99.jpg

Ah, leiam o livro Brilhante para se inspirarem!